Taxista é preso com drogas avaliadas em R$ 2 milhões

By -
Paulo Henrique informou que apenas fazia o transporte da droga

Paulo Henrique informou que apenas fazia o transporte da droga

O taxista Paulo Henrique dos Santos Lagos, 27, foi preso em flagrante por tráfico de drogas ontem (23) à tarde. No momento em que foi interceptado, ele tinha em posse, aproximadamente, 200 quilos de entorpecentes, entre cocaína, maconha comum e do tipo skunk. A prisão foi coordenada pelo diretor do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc), delegado Paulo Mavignier, que apresentou o infrator no prédio da Delegacia Geral, Zona Centro-Oeste.

De acordo com a autoridade policial, a equipe do Denarc interceptou Paulo Henrique na tarde de hoje, por volta das 13h, em via pública, na avenida Governador Danilo de Matos Areosa, primeira etapa do bairro Distrito Industrial, Zona Sul da cidade, no momento em que ele conduzia um táxi de placas NOO-6412. O delegado informou que as investigações em torno do caso tiveram início há aproximadamente duas semanas, após o recebimento de denúncias anônimas.

“As delações que recebemos informavam que um motorista de táxi iria distribuir uma grande quantidade de substâncias entorpecentes em todas as zonas da cidade. Quando o abordamos ele ainda tentou empreender fuga. Durante revista encontramos cerca de 50 quilos de entorpecentes na mala do carro. O infrator informou que o restante da droga estava em um depósito localizado na rua Antônio Lacerda, no bairro Morro da Liberdade”, afirmou Mavignier.

drogas_denarc_taxista-1O diretor do Denarc ressaltou que no local informado pelo infrator, um galpão com um escritório, os policiais civis apreenderam 150 quilos de drogas, pertencentes a uma facção criminosa que atua no estado. O delegado pontuou que o infrator afirmou ter recebido R$ 200 pelo transporte da mercadoria ilícita, que está avaliada em R$ 2 milhões. O táxi que ele conduzia era alugado.

Paulo Henrique foi autuado em flagrante por tráfico de drogas, crime previsto no artigo 33 da Lei nº 11.343/06. Ao término dos procedimentos cabíveis na base do Denarc, nas dependências da Delegacia Geral, o infrator será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Roberto Brasil