Rodoviários cruzam os braços e Centro de Manaus vira um caos

By -
Filas de ônibus se formaram na Constantino Ney

Filas de ônibus se formaram na Constantino Nery

Três mil trabalhadores do transporte público, entre motoristas e cobradores, paralisaram as atividades na manhã desta quinta-feira (17), por volta das 8h30, durante protesto por melhores condições de segurança no dia a dia dos serviços que são ofertados à sociedade. Na ocasião, os profissionais estacionaram os ônibus no Terminal de Integração (T1), na Constantino Nery, Centro de Manaus, e em frente à sede do Palácio do Governo, na avenida Brasil, bairro Compensa, Zona Oeste.

Josildo Oliveira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTRM) informou que o ato estava previsto desde a noite do último domingo (13), quando Feitosa de Amorim Félix, 41, motorista da linha 093 da empresa Global Transportes, foi assassinado a facadas durante tentativa de assalto ao ônibus que estava trabalhando. O crime aconteceu no conjunto Castanheiras, bairro Zumbi dos Palmares, Zona Leste.

“Hoje são apenas três mil trabalhadores. No próximo, nós vamos paralisar totalmente o transporte público. Serão mais de nove mil profissionais na manifestação. Estamos reivindicando um direito que é garantido por lei a todos os cidadãos que é a segurança. Manaus está entregue aos bandidos. Todos os dias os trabalhadores estão ameaçados de não voltar para os seus respectivos lares”, frisou Oliveira.

Ainda segundo o presidente do STTRM, toda semana haverá um protesto até que o governo do estado realiza ações para conter a criminalidade “que assusta todos os dias os trabalhadores do transporte público”.

com EMTEMPO

Roberto Brasil