Na Aleam, sessão especial homenageia o Dia da Consciência Negra

By -

aleam-sessao-consciencia-negraA Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) realizou Sessão Especial na manhã desta segunda-feira (21) em homenagem ao Dia da Consciência Negra como forma de lembrar a dívida brasileira com os negros por conta da escravidão e preconceito e promover igualdade entre raças. A Sessão partiu de iniciativa dos deputados estaduais Alessandra Campêlo (PMDB), Luiz Castro (REDE) e José Ricardo (PT).

Os deputados autores da propositura foram unânimes em reforçar a carga de reflexão trazida com a data. Alessandra Campêlo destacou os avanços, mas afirmou que muito ainda deve ser feito. “Nos casos de violência os jovens negros são os que endossam as estatísticas em casos de assassinato, por exemplo”, afirmou. Já o deputado Luiz Castro destacou os resquícios deixados pela escravidão. “Ainda existem pessoas de pele mais branca que se julgam superiores aos negros e ainda há uma discriminação sofrida pelos negros no mercado de trabalho”, apontou. José Ricardo também destacou a diferença salarial. “Foram graves consequências que a escravidão deixou, como a marginalização, falta de oportunidade e desigualdade salarial”, enumerou.

Uma placa de homenagem foi entregue ao Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sérgio Castriani e certificados foram entregues à Mãe Raimunda Guimarães Viegas (in memorian) representada por Manoel da Vera Cruz Guimarães; Professora Clara de Moraes Campos; Instituto Cultural Ajuri (INCA), representado por Marcos Moura, coordenador; Cristiano Correa dos Santos; União de Negros e Negras pela Igualdade, representada por Cristiane Oliveira, presidente; Fórum de Mulheres Afro-Ameríndias e Caribenhas; Fórum Permanente de Afrodescendentes do Amazonas (Fopaam), representado por Gláucio Gama Fernandes, coordenador.

Entre os participantes do evento estavam compondo a mesa do evento: Graça Prola,Secretária de Justiça de Direitos Humanos e Cidadania; Suzete Maria dos Santos, procuradora de Justiça do ministério Público Estadual (MPE/AM); Felipe Isper Abrahim Neto, secretário municipal de Direitos Humanos; Roger Moreira, defensor público, representando a Defensoria Pública do Amazonas (DPE/AM); Alberto Jorge, representante da  Articulação Amazônica dos Povos Tradicionais de Matriz Africana (Aratrama); Raimunda Nonata Correia, representante do Fórum Permanente de Afrodescendentes do Amazonas (Fopaam); Cristian Rocha, representando o Movimento Orgulho Negro do Amazonas; e Cristiane Oliveira, representante do União de Negros e Negras do Amazonas.

Durante o uso da palavra os participantes da mesa do evento abordaram alguns aspectos que ainda precisam ser enfrentados pela população afrodescendente como a intolerância religiosa, a discriminação racial, a violência e a desvalorização da cultura negra.

Roberto Brasil