Anac libera voo semanal da Gol entre Manaus e Buenos Aires

By -

gol-aterrisagemA Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) autorizou o voo Manaus-Buenos Aires para a segunda quinzena de dezembro, de acordo com informações da presidente da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Oreni Braga. O voo será semanal e será operado pela Gol Linhas Aéreas.

Agora, o  Governo do Amazonas, por meio da Amazonastur, está recorrendo a Embaixada do Brasil na Argentina, para que o voo Manaus/Buenos Aires seja autorizado pela Administração Nacional de Aviação Civil (ANAC) da Argentina.  “O trabalho pelo lado brasileiro já caminhou e agora estamos articulando junto a Embaixada a liberação pelo lado argentino”, informou a titular do Órgão Estadual de Turismo.

O voo para uma das principais capitais da América do Sul, de acordo com Oreni, vai oportunizar que novas ações sejam realizadas entre vários setores, além do Turismo. “Esse voo é uma ligação direta com o Mercosul, o que significa dizer que a Indústria e o Comércio serão diretamente atingidos de forma positiva”, disse.

Ainda de acordo com Oreni, houve aumento na frequência de voos a partir de uma articulação intensa com o setor de Brasília para Manaus, os voos semanais saltaram de 14 para 19. Com São Paulo, Manaus passou a ter 17 voos semanais, antes eram 14. Com Belém, estão acontecendo sete voos, dois a mais que antes das medidas de desoneração. Sem voos diretos para a capital do Amazonas, o Rio de Janeiro passou a ter dois voos semanais, enquanto Boa Vista tem três. Houve ainda a abertura de novas rotas por companhias aéreas. Desde julho, voos da Azul Linhas Aéreas saem de Manaus para Fortaleza, Belém e Campinas.

ICMS – Os anúncios de aumento na malha aérea da capital amazonense ocorrem após um período de cortes das empresas por conta da crise econômica. Para garantir voos e abrir as novas rotas que estão em operação, o Governo do Amazonas intensificou o diálogo com as empresas e implementou uma nova política de incentivo fiscal, com redução da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da querosene das empresas aéreas.

“Com a crise, as empresas começaram a tirar voos em todo o Brasil e Manaus, como não podia ser diferente, foi atingida. Fizemos um trabalho no sentido de que retomassem os voos com a desoneração do querosene”, disse Oreni. Antes da medida do governo estadual, a alíquota do ICMS do combustível cobrada para pousos no Amazonas era de 25%. Com a nova política, a alíquota mais baixa chega a 7%.

Para as companhias aéreas se beneficiarem com a desoneração, o governo estadual exige a realização de voos com frequências mínimas semanais e destinos diretos para cidades como Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belém, Boa Vista, além de dois destinos no nordeste brasileiro e voos para países estrangeiros.

Com a nova política, o governo do Amazonas garante ligação aérea com os principais destinos brasileiros, medida de extrema importância para o turismo regional. A resposta imediata das empresas aéreas foi aumentar a malha viária da capital amazonense, com o anúncio da retomada dos voos semanais para Miami, pela Latam, e a criação do voo para Buenos Aires pela Gol, e o aumento de voos nacionais. “O turista só vai ter facilidade de acesso, podendo vir dos principais centros do Brasil para Manaus”, frisou a presidente da AmazonasTur.

Aprovada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o voo entre Manaus e Buenos Aires aguarda a liberação pela agência de aviação argentina. A previsão é que os voos comecem em dezembro. Uma articulação está em andamento com a Avianca para a abertura de um voo entre Manaus e Lima, a capital do Peru.

Roberto Brasil