Amazonas encerra temporada nos Jogos Escolares da Juventude (JEJ) 2016 com 30 medalhas

By -

img-20161119-wa0021

O maior evento esportivo estudantil do Brasil, os Jogos Escolares da Juventude (JEJ), encerrou neste sábado, dia 19, em João Pessoa, na Paraíba, após dez dias de competições. Durante quase essas duas semanas, os estudantes-atletas do Amazonas conquistaram um total de 14 medalhas pela etapa Juvenil, de 15 a 17 anos, tanto pelas modalidades coletivas quanto individuais. Atletismo, Judô, Luta Olímpica, Tênis de Mesa, Natação, Futsal, Vôlei e Basquete foram os esportes que ‘subiram’ ao pódio. 

Ao todo, foram seis medalhas de ouro, três de prata e cinco de bronze. Nesta última etapa, pela disputa das modalidades coletivas, a terrinha baré conquistou a segunda colocação com o Futsal Feminino (Escola Estadual José Mota, de Manacapuru), que viu o placar de 6×0 consagrar o Paraná; com o Vôlei Feminino (Colégio La Salle, Manaus), que disputou o ouro com o Mato Grosso e ficou com a prata após 3 sets a 2 para o adversário; e com o Basquete Masculino (Adalberto Valle, Manaus), que deu adeus a primeira colocação depois de Rondônia marcar 62×60.

img-20161120-wa0030

Com o resultado das modalidades coletivas, o Amazonas comemora o acesso do Futsal a primeira divisão do JEJ, algo inédito para o Estado, e a segunda divisão para o Vôlei e Basquete. “É gratificante poder representar o nosso Amazonas e ser destaque numa competição nacional tão importante, pois foi a primeira vez que uma equipe do nosso Estado conseguiu a classificação, ganhou um título e subiu de divisão. A equipe de Manacapuru é treinada por Fredson Leite e eu tive o prazer de acompanhá-las e elas foram guerreiras. Estamos muito felizes”, destacou o responsável pelo time no JEJ, professor Magela.

Para o técnico da equipe de Vôlei do La Salle, Alexandre Chaves, a conquista inédita da segunda colocação possibilita mais visibilidade ao time, como proporciona também mais experiência às jogadoras. A campanha do time amazonense iniciou com vitória sob a Bahia, por 2 sets a 0, depois enfrentaram o Espirito Santo e venceram também por 2 sets a 0. Na semifinal, as amazonenses passaram pelo Maranhão por três sets a 0 e perderam a final para o Mato Grosso por 3 sets a 2.

img-20161119-wa0026

“A gente subiu de divisão escolar, estávamos na terceira e agora acessamos a segunda, e o La Salle já havia sido campeão da segunda divisão pela categoria Infantil, 12 a 14, mas nunca pela Juvenil. Ou seja, essa foi uma conquista inédita e importante, pois isso aumenta nosso intercâmbio com equipes mais fortes e esse processo de participar de competições nacionais faz com que o vôlei escolar cresça e, consequentemente, possibilita regularidade técnica e competitiva”, destacou Chaves.

Modalidades individuais

O Amazonas se destacou na fase individual dos Jogos Escolares da Juventude (JEJ) e conquistou 11 medalhas.  Essa etapa encerrou dia 14 de novembro.

De acordo com o oficial responsável pela delegação amazonense na Paraíba, Joel Soldera, os alunos-atletas estão no caminho certo e os resultados merecem comemoração. “Essa quantidade de medalhas, tanto da individual quanto da coletiva, refletem bem o trabalho que tem sido feito, principalmente o trabalho da luta olímpica. O Futsal também nos surpreendeu e estamos muito felizes. Se essa semente continuar a ser plantada e regada, como está sendo feita, ano que vem iremos mais forte e depois mais ainda”, analisou.

 

stephany-rodrigues

30 medalhas

Os Jogos Escolares da Juventude (JEJ) são divididos por faixa etária. A fase Infantil aconteceu em setembro e a Juvenil no presente mês. Para a primeira fase, de 12 a 14 anos, a delegação amazonense era formada por 163 estudantes-atletas, e a categoria de 15 a 17 anos contou com 142. Todos contaram com o apoio do Governo do Amazonas para a competição nacional.

Somando a conquista do JEJ nas duas categorias, o Amazonas faturou em 2016 um total de 30 medalhas, registrando uma das suas participações mais expressivas. A meta, agora, é fazer de 2017 um ano de mais conquistas.

“Entendemos que a base é o desfecho do alto rendimento e nosso trabalho vai ser incentivar ainda mais esses atletas para a temporada do ano que vem. O Amazonas foi muito bem este ano, conseguimos levar um numero considerável de atletas, e todos eles deram muito orgulho ao nosso Estado. O trabalho, no entanto, não se resume ao JEJ e, por isso, vamos incentivar mais competições locais para disseminar a experiência entre esses jovens”, afirmou o titular da Sejel, Fabricio Lima.

Áida Fernandes