XXIII Festival das Tribos Indígenas de Juruti

By -

Da Redação.- No interior paraense, o XXIII Festival das Tribos Indígenas de Juruti (Festribal), está sendo realizado no período de 27 a 30 de Julho, mostrando o duelo entre as tribos de Muirapinima (azul e vermelho) e Munduruku (amarelo e vermelho), apresentando por três horas lendas amazônicas com coreografia, alegorias, indumentária e musicas regionais.

Uma caravana com pessoas entusiastas e imprensa de Manaus viajou no barco Rei da Gloria à convite do promotor cultural ‘Marquinho da Enfermagem’. Ele disse ao Blog da Floresta que a intenção é promover a cultura de Juruti, o Festribal deve se mostrar ao mundo.

Nos preparativos e a participação na batucada, o destaque foi para o vereador Edinho Almeida (PSD) que vem apoiando as duas tribos. “O festival é de muita luta, especialmente financeira e será um dos melhores, os visitantes prestigiam esta festa, tem muito comerciante e estamos fazendo o melhor possível pese a crise”, disse o parlamentar paraense.

Mistérios dos Pajés e a Mística da vida

Edon Batista/Tribo Munduruku

Para o representante da Tribo Munduruku, Edon Batista, o Festribal é um trabalho muito grande. “As áreas cultural e de turismo exigem investimentos e nossa prefeitura está recebendo apoio do governo federal através da Lei Ruanet”, afirmou.

O representante da tribo Muirapinima, Moisés Mota, anunciou uma apresentação diferente. “A mística da vida busca o paralelo da vida indígena e suas crendices. Uma soma de tudo para a apresentação. Referente à parte financeira explicou que deve ser superada. Como a associação devemos buscar mecanismos para superar a crise. Desta vez foi graças à união e coragem de todos e iremos apresentar na altura dos outros anos ou melhor”, destacou.

Referente ao trabalho da cultura e o turismo disse: “De acordo com a Secretaria de Cultura, um projeto foi iniciado para procurar recursos, estamos acompanhando o processo e seja qualquer governo isto deve realizar para beneficio da cultura de nossa comunidade, as duas Associações estão dispostas a continuar trabalhando para que o nosso Festribal cresça, mas atendendo as demandas dos turistas e todos os que chegam a Juruti.”

Manter a memória viva

A festa retrata a cultura indígena em forma de musica, artes cênicas, alegorias e danças. O modo de vida do caboclo, os rituais, o pescador e o farinheiro são algumas das inspirações do festival. A evolução das tribos indígenas Muirapinima e Munduruku tem como objetivo manter viva na memória da população jurutienese a historia de seus primeiros povos.

Com 47.066 habitantes o município de Juruti está localizado a margem direita do rio Amazonas, no oeste do estado do Pará, na mesorregião do baixo Amazonas.

Reportagem: Mercedes Guzmán/Fotos: Fábio Santarém

Roberto Brasil