Wilker Barreto destaca empréstimo em prol da infraestrutura de Manaus

By -

Ver. Wilker Barreto

O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), o vereador Wilker Barreto (PHS) saiu em defesa do PL 247/2017, que autoriza o Poder Executivo a contrair empréstimo de R$ 225 milhões junto a Caixa para a infraestrutura da cidade. “Eu quero o melhor para a cidade de Manaus. Queria que esse empréstimo fosse de R$ 1 bilhão”, disse ele.

Wilker Barreto explicou que apesar da autorização dada pela Câmara, não existe a garantia nenhuma que o recurso chegue.  “O último empréstimo que autorizamos demorou três anos para ser liberado. Eu queria a mesma celeridade na liberação desses recursos da Caixa Econômica, como o BNDES fez com a JBS”, ironizou o presidente.
“Queremos recursos para saneamento básico, recapeamento asfáltico, recuperação das vias”, acrescentou ao afirmar que na etapa do processo de investimentos dos recursos a prefeitura terá oportunidade de prestar contas, por meio de etapas a serem vencidas de execução das obras, por meio de processo licitatório.
Wilker Barreto ressaltou o bom desempenho da prefeitura na administração pública, afirmando que os indicadores estão ai para quem quiser ver. “A oposição que critica o governo, não reconhece os feitos da gestão, a oposição coerente é por Manaus e não por partido. A oposição não vê os indicadores favoráveis”, afirmou ele ao destacar Manaus no âmbito nacional, com o sucesso da previdência municipal, por meio do prêmio Boas Práticas de Gestão Previdenciária, da Associação Nacional das Entidades de Previdência de Estados e Municípios (Aneprem) durante o Congresso Nacional de Previdência, em Curitiba (PR).
Segundo o presidente, o prêmio é importante Manaus parece que não existe para o resto país. “Portanto, por Manaus vamos permitir que a cidade tenha recursos para execução de obras. Na última legislatura deliberamos mais de R$ 1 bilhão e o dinheiro não veio”, assegurou o presidente.
De acordo com Barreto, o valor dos recursos aprovados já constará da Lei Orçamentária Anual (LOA), numa expectativa de receita para o município.
Roberto Brasil