Wanderley Dallas cria lei para auxiliar estudantes canhotos

By -

estudantes-canhotosAs escolas das redes pública e particular do Amazonas, bem como cursinhos pré vestibular e escolas de idiomas, deverão disponibilizar carteiras escolares especiais para canhotos.

A medida tornou-se lei nesta semana, após a Assembleia Legislativa do Amazonas aprovar o Projeto de Lei 88/2015, do deputado estadual Wanderley Dallas (PMDB).

Com a criação da lei, as escolas deverão oferecer a seus alunos, no ato da matrícula, um formulário onde será comunicada a necessidade da carteira especial para canhoto. A lei entrará em vigor no ano letivo de 2017.
Segundo dados da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciências e Cultura), estima-se que entre 10% e 12% da população mundial seja canhota.

O deputado Wanderley Dallas explica que a maioria das escolas já possui carteiras para canhotos, porém o número não é suficiente para atender todos alunos. “Criamos a lei para regulamentar a oferta desse tipo de carteira nas escolas”, afirmou Dallas. “Dessa forma, queremos ajudar milhares de estudantes canhotos a ter um melhor rendimento escolar”, acrescentou.

De acordo com estudo realizado pela Unesco na década de 1990, o uso das carteiras feitas para alunos destros pode causar atraso escolar nos estudantes canhotos. Isso acontece devido a dificuldade em escrever nos apoios localizados do lado direito das carteiras.

Segundo o relatório da Unesco, os ‘esquerdinos’ ficam em desvantagem, pois acabam escrevendo mais lentamente que os estudantes destros. O problema pode resultar em déficit de aprendizagem.

O deputado Wanderley Dallas disse que a lei já existe em outros Estados do País, beneficiando milhares de estudantes. “Para escrever, o canhoto fica com a mão invertida, no formato de gancho com o punho dobrado, além de se torcer na carteira, numa posição desconfortável”, destacou o deputado. “Criamos a lei para resolver este problema”, completou Dallas.

Roberto Brasil