Wallace Oliveira alerta sobre o aumento de casos de HIV entre os jovens do AM

By -

Ver. Wallace Oliveira (Foto: Thiago Motta)

Nesta terça-feira (19), no plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM), o vereador Wallace Oliveira (PODE) alertou sobre o aumento de casos de HIV entre os jovens do Estado do Amazonas. Indicou da necessidade de campanhas de prevenção e informação, pois quase 50% não tem ideia que são portadoras do vírus.

Segundo o parlamentar e baseado em pesquisa realizada por órgão competente, os casos de HIV entre os jovens do Amazonas cresceu 85%. “Muito preocupante esses números, porque o Amazonas possui mais de 15 mil casos de pessoas com o vírus HIV, sendo que apenas 54% dessas pessoas infectadas têm consciência disso. O restante, quase metade dos demais casos, não tem essa ciência”, salientou.

Manaus em terceiro lugar

O parlamentar comentou também que o Amazonas está numa posição muito incômoda em relação essa situação. “O Amazonas e Manaus estão hoje em terceiro lugar, entre os estados e municípios, com maiores índices de HIV/AIDS no Brasil. Desse número, 12.179 casos somente em Manaus, o que sinaliza uma concentração de 80% dos casos registrados. Em seguida, estão Parintins, Tabatinga, Itacoatiara e Tefé”, acrescentou.

Preocupado pela situação, destacou as campanhas de prevenção realizadas pela Prefeitura de Manaus e o Governo do Estado do Amazonas. “A AIDS ainda não tem cura; as pessoas vivem através de coquetéis medicamentosos. E é alarmante ver que os jovens estão sendo o grande alvo, é entre eles que estão acontecendo os maiores índices de proliferação dessa doença”, afirmou o vereador.

O vereador Wallace Oliveira enalteceu ainda as igrejas, que de maneira muito importante e forte, realiza trabalhos nesse sentido, através de campanhas internas com os jovens, homens e mulheres. “O nível de prevenção precisa ser consolidado, pois sem prevenção adequada, os dados existentes aumentarão drasticamente”.

Finalizando seu pronunciamento, o parlamentar fez um apelo aos órgãos competentes: “Quero clamar aos órgãos de controle, aos órgãos que possuem competência sobre o assunto, para que as campanhas sejam fortalecidas e intensificadas, porque não podemos ter um comprometimento de 85% da nossa juventude nesses parâmetros de HIV/AIDS”, concluiu.

Roberto Brasil