Vice-prefeito de Caapiranga nega acusações e ataca prefeito Pongó

By -

O vice-prefeito de Caapiranga, Senhor Moisés da Costa Filho, comparece por meio deste, no intuito de rechaçar, veementemente, as acusações feitas nesse portal pelo grupo político do prefeito Antônio Ferreira Lima, vulgo Pongó.

Nesse sentido, informa que todas as despesas realizadas, encontram respaldo na lei e serão colocadas em mesa, para análise do controle externo como o TCE e a própria Câmara de Vereadores, no momento oportuno.

Ademais, as informações são inverídicas e não coadunam com a verdade.

Devido as idas e vindas, por medias judiciais, a equipe do vice-prefeito trabalhou 22 dias na penúltima passagem pela Prefeitura e não recebeu o pagamento dos dias trabalhados. Nessa última passagem, trabalhou mais 14 dias, totalizando 36 dias de trabalho, que a prefeitura tem que pagar, sob pena de incorrer em crime de enriquecimento ilícito da administração. Portanto, não são apenas 14 dias, mas 36 dias de trabalho, com deslocamentos à Capital do Estado, que, segundo a lei, enseja pagamento de diárias aos servidores.

Quem realizou despesas com máquinas pesadas foi o senhor Antônio Ferreira Lima, vulgo Pongó, que, inclusive, está sendo investigado, quanto a isso, pelo Ministério Público, conforme é possível verificar no documento abaixo.

Nem máquinas, nem trabalhos, nunca apareceram em Caapiranga e os contratos serviram apenas como lavagem de dinheiro.

O prefeito Pongó, que é comandado por sua esposa (Juliana Lima), e a sua filha (Luciana Lima) quer brincar de fazer denúncias falsas, para jogar a população contra o vice-prefeito e tirar o foco das graves acusações que lhes são imputadas pelo Ministério Público e agora pela Polícia Federal.

O esquema da quadrilha é montado da seguinte forma:

Luciana Lima (a filha de Pongó) transfere os recursos das contas de recursos próprios: ICMS, FPM, ISS e até 40% do Fundeb para as contas do Fundo de Saúde de Caapiranga, que é comandado por Juliana Lima (esposa de Pongó) que então faz o que bem entende com o dinheiro da Prefeitura, por meio de empresas de fachadas para lavar o dinheiro.

O senhor Antônio Ferreira, vulgo Pongó, por todas as vezes que esteve afastado por ordem judicial, fez movimentações bancárias da Prefeitura, quando não poderia mais, estando fora da Prefeitura.

Na última vez, transferiu quase um milhão de reais, mesmo fora do cargo, em conluio, talvez, com gerentes de bancos.

Vejam os beneficiários das transferências de Pongó nos últimos dias 08/12 e 11/12/2017, quando ele estava afastado do cargo e o grau de parentesco da quadrilha:

Gilberto D. Maddy – ME (empresa do marido da neta do Prefeito), recebeu R$ 6.012,00 (seis mil e doze reais);

Gilberto D. Maddy – ME (empresa do marido da neta do Prefeito), recebeu R$ 15.000,00 (quinze mil reais);

Gilberto D. Maddy – ME (empresa do marido da neta do Prefeito), recebeu R$ 70.000,00 (setenta mil reais);

Ketlen Mayrla – ME (empresa da mulher do primo da esposa do Prefeito), recebeu R$ 33.955,00 (trinta e três, novecentos e cinquenta e cinco mil reais);

Ketlen Mayrla – ME (empresa da mulher do primo da esposa do Prefeito), recebeu R$ 63.000,00 (sessenta e três mil reais);

Jorge Silva da Costa (genro do prefeito) – recebeu R$ 1.000,00 (mil reais);

Luiz Carlos Delfino de Menezes (irmão da sua secretária de educação), recebeu R$ 1.000,00 (mil reais);

Américo Alves Viana Eireli (empresa do pai do seu secretário de administração), recebeu R$ 10.000,00 (dez mil reais);

Antônio Luciano Alves Viana (seu secretário de administração), recebeu R$ 500,00 (quinhentos reais);

Jorge Silva da Costa (genro do Prefeito), recebeu R$ 1.000,00 (mil reais);

Juliana Gomes dos Anjos (esposa do Prefeito), recebeu R$ 500,00 (quinhentos reais);

Antônio Ferreira Lima (o próprio prefeito), foi agraciado com R$ 2.000,00 (dois mil reais);

Raimunda Oliveira Souza (irmã do Prefeito – que não possui vínculo com a Prefeitura), recebeu R$ 3.000,00 (três mil reais);

Querem mais denúncias? Então vejam algumas conversas da esposa de Pongó, Juliana Lima, vulgo Juju Perigosa.

Foram divulgadas conversas reservadas no aplicativo whatsapp da mulher do Prefeito de Caapiranga, Antônio Lima, o Pongó, (PMDB).

A mulher de Pongó é Juliana Lima, que também foi nomeada por Pongó e é a Secretária de Saúde de Caapiranga.

Nas conversas trazidas a público, a própria Juliana Lima se auto intitula “JUJU PERIGOSA” em alusão a personagem da atriz Juliana Paes da novela da Globo, que era mulher de traficante e comandava, junto com o marido, o tráfico de drogas.

As conversas são de arrepiar e mostram o submundo das tramoias e do interesse pessoal que está ocorrendo no pequeno município de Caapiranga, de pouco mais de 12 mil habitantes.

O linguajar utilizado é chulo, de baixo calão, sem escrúpulos, de vocabulário encontrado nos mais sombrios meretrícios.

Em uma das conversas, a tal “Juju Perigosa” diz que está montando seus postos de gasolina (assim, no plural) e que sabe que o povo vai falar, “então f…-se”.

Em outra parte da conversa, “Juju Perigosa” afirma que até o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) está sendo dominado por eles (que comandam a Prefeitura). Interrogada se o TRE está com eles ela é categórica: “OS QUE TRABALHAM LÁ DENTRO SIM” e diz que as urnas para prefeito (2016) ela comandou. E com emotions de gargalhadas ela debocha: “PODE VIM QUENTE QUE ESTOU FERVENDO”.

Em outro trecho da conversa “Juju Perigosa” afirma: “PINTO E BORDO E FAÇO O QUE QUERO NA MINHA FOLHA” (de pagamento) da Prefeitura. “QUEM COMANDA TUDO SOU EU” ela afirma.

Juliana Lima (Juju Perigosa) desfila em carrões em Manacapuru, onde mora, e recentemente comprou, não se sabe se em seu nome ou no de laranjas, mais um carrão de luxo: dessa vez um SUV, Chevroler Tracker, top de linha, avaliado em mais de 100 mil reais.

Juju perigosa também adquiriu um Pontão. Vejam as fotos do posto de gasolina que Juliana Lima (a Juju Perigosa) comprou!! O Pontão está ancorado no Porto de Manacapuru.

Veja a foto do Pontão de Juju Perigosa.

A Justiça precisa se posicionar em relação as afirmações da Secretária de Saúde de Caapiranga Juliana Lima, esposa do Prefeito, que diz que comanda, até o TRE em Caapiranga.

O Ministério Público precisa, imediatamente, pedir uma investigação minuciosa da justiça e quebrar o sigilo bancário da Secretária Juliana Lima (a Juju Perigosa) e de seus familiares e amigos próximos.

Mais escândalos serão mostrados a respeito da quadrilha que está comandando a prefeitura de Caapiranga, junto com Pongó, inclusive a sua filha (Luciana Lima Viana) que, comanda, de fato, a Secretaria de Finanças do Município e é responsável pelas transferências dos recursos. O seu marido (Jorge Costa) seria apenas um fantoche e Secretário de fachada.

As filhas ds Pongó viviam de favor na casa do Pai em Caapiranga, de ondem foram expulsas por Juliana Lima (mulher de Pongó.

A partir daí as filhas de Pongó criaram uma inimizade mortal de Juliana Lima. Mas foi só o pai ser eleito prefeito, que Luciana e Juliana Lima, se transforaram em “best friends” uma da outra, por causa do dinheiro da Prefeitura.

Recentemente Pongó realizou uma pomposa festa de casamento de sua neta, em Caapiranga, com uma despesa de mais de 100 mil reais, com cerca de 200 convidados. Adivinhem com que dinheiro?

Está passando da hora de alguém tomar uma atitude e tirar o Prefeito Pongó da Prefeitura, vez que ele, por ter se candidatado de forma irregular, ilegal, quer ficar a frente da Prefeitura de qualquer jeito. Toda a culpa dessa bandalheira é do senhor Pongó.

Que fique claro que não foi a maioria do povo que votou em Pongó, mas apenas a maioria (34 a mais que o segundo colocado) dos eleitores presentes no dia da votação, ou seja, 3.268 votos, num universo de 12.820 (IBGE 2017) habitantes de Caapiranga. Logo, não foi a maioria do povo que votou em Pongó, nem a metade do total de 8.125 eleitores registrados em 2016.

 

Agora vejam as ruas de Caapiranga como estão.

Se a justiça quiser investigar, vai descobrir todas as irregularidades aqui denunciadas e certamente pedirá o bloqueio das contas da Prefeitura de Caapiranga, pois está servindo para desvio de finalidade e locupletamento de Pongó e sua família.

Veja o carro de luxo de Luciana Lima, comprado recentemente, um SUV IX 35, na cor preta, no valor de R$ 150 mil reais.

Confira os saques feitos por Pongó, quando ele estava afastado da Prefeitura:

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DO VICE-PREFEITO DE CAAPIRANGA 26/12/2017

Roberto Brasil