Vereadores de Manaus pretendem debater uso do cartão nos ônibus

By -

“É muito fácil receber o dinheiro de forma antecipada e não prestar o serviço de qualidade”, frisou o vereador Cláudio Proença

Da Redação – Nesta terça feira (18), no Grande Expediente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), alguns vereadores voltaram a debater o tema do transporte público, desta vez a proposta para uso do cartão para pagamento da passagem. Uns a favor e outros contra, mas todos reconheceram a importância do debate.

O vereador Marcel Alexandre (PMDB) falou sobre transporte, tema de grande relevância por conta do desafio do dia a dia e da natureza do serviço público, enfocando a proposta para uso do cartão para pagamento da passagem. “Durante o curto período que estive na SMTU, vi como a luta é difícil para intermediar o interesse de todas as partes. Os empresários propõem que se tire o dinheiro dos ônibus, considerando o ponto de vista da segurança. O esforço tem sido para que se tenha o maior número de postos onde possa se comprar e recarregar o cartão. Isso, a priori, resolveria a questão do troco e da segurança”, disse.

O vereador explicou que o Sindicato dos Rodoviários alega o fato que o cartão pode causar a demissão dos cobradores. Sobre a questão, o parlamentar informou que a proposta é que os cobradores passem a exercer a função de fiscais, para garantir e ajudar no uso do cartão. “O cartão tem sido uma tendência nacional e já temos cidades brasileiras que o utilizam 100%. A questão hoje é transformar a cultura”, disse.

Marcel Alexandre lembrou outro aspecto: o direito do cidadão utilizar o dinheiro, a moeda corrente do País. Diante de tantas situações, o vereador propôs a realização de um amplo debate sobre o uso do cartão, discutindo mais profundamente as questões pertinentes a essa proposta: troco, segurança e qualidade do serviço.

Monopólio do sistema de transporte

Segundo o vereador Claudio Proença (PR), os empresários deram um indicativo para que se apresente o PL com o objetivo de que o usuário utilize o cartão no ônibus e não pagar em dinheiro a passagem. “Eu sou contra porquanto isto será um monopólio do sistema. Até porque o serviço de transporte público em Manaus é ineficiente. Temos tido constantes greves e como o cidadão se pagou antecipado, comprou o cartão, como vai utilizar este serviço se estiver em greve”, afirmou.

“É muito fácil receber o dinheiro de forma antecipada e não prestar o serviço de qualidade, o dinheiro só passa a ser do empresário a partir do momento que transportou e eles estão querendo receber antes de prestar o serviço, devemos ficar alertas para que isto não aconteça”, salientou o vereador Claudio Proença.

Mercedes Guzmán

Roberto Brasil