Venda de cerol poderá ser proibida em Manaus

By -
"A brincadeira em si é saudável, desde que não seja usada a linha cortante", disse Francisco da Jornada

“A brincadeira em si é saudável, desde que não seja usada a linha cortante”, disse Francisco da Jornada

A proibição da venda e o uso de cerol utilizado para empinar ou soltar pipa, papagaio de papel ou similares está a um passo de se tornar realidade. A proposta é de autoria do vereador Francisco da Jornada (PDT) e tem o objetivo de prevenir acidentes e evitar mais vítimas fatais por conta do uso da linha de cerol na brincadeira.

O Projeto de Lei 318/2013, aprovado no plenário da Casa Legislativa, na manhã desta terça-feira (24), veta também o armazenamento, transporte, distribuição e uso de cerol (mistura de cola e vidro moído) da linha chilena de óxido de alumínio e silício ou de qualquer material cortante para a utilização de empinar ou soltar pipa e similares, salvo nas áreas específicas para essa finalidade que deverão ser criadas pelo Poder Público.

O autor justifica a criação do PL devido aos acidentes ocorridos na cidade por conta da linha de cerol, o que não deixa de ser um objeto cortante, uma vez que já fez várias vítimas fatias. “Pescoço e braços já foram cortados por conta da linha chilena. A brincadeira em si é saudável, desde que não seja usada a linha cortante”, disse o parlamentar, ao acrescentar, ainda, que já tem outro projeto em tramitação na Casa, que trata da delimitação de áreas, para que as pessoas possam usar como local ideal para empinar o papagaio de papel.

Jornada disse, ainda, que todos sabem das implicações que poderão ter as pessoas que utilizam cerol em fios nessa prática, pois além das possibilidades de pequenos acidentes com os próprios usuários ou amigos que participam da brincadeira, podem trazer consequências trágicas a terceiros. “A prática dessa brincadeira maldosa, que também é criminosa, tem ceifado inúmeras vidas em todo o país. O presente projeto pretende disciplinar o seu uso e não proibir a brincadeira”, completou o vereador.

Infrações

Conforme o Projeto de Lei, quando se tratar de infrações praticadas por menores, assumirão as consequências dos seus atos os pais ou responsável legal.  Além disso, estabelecimento comercial flagrado comercializando a linha chilena de óxido de alumínio e silício ou cerol terá imediatamente o seu alvará suspenso por 30 dias e, na reincidência, será cassado pelo Poder Executivo

Roberto Brasil