Velório da família Belota comove até curiosos

By -

caso-belota 01

A funerária onde acontece o velório de Roberto Brito, Gracilene e Gabriela Belota está tomada por curiosos, atraídos pelo violento triplo homicídio com características de perversidade, incluindo aí o cachorrinho yorkshire de Gabriela.  Ou talvez pela posição social de membros da família Belota, que ocupam posições de destaques nas empresas e autarquias onde trabalham. A comoção tomou conta dessas pessoas que se mostravam muito consternadas e dando apoio à familiares das vítimas.

O triplo homicídio foi atípico aos padrões da segurança pública, porque ocorrido no seio de uma família muito conhecida na cidade. Os titulares da segurança são unânimes afirmando que é um caso de patologia, uma vez que foi arquitetado e executado por um membro da família Belota, filho, sobrinho e primo das vítimas. A herança familiar também está em jogo, porque Jimmy sabia que não teria direito sozinho a herança do pai, que estava se desfazendo de seus bens.

As três vítimas do filho de Brito, Jimmy Robert, que nega participação nos homicídios, e mais três comparsas, eram tidas como pessoas de boas relações na sociedade amazonense. O pai Brito era proprietário de barcos de pesca, a tia de Jimmy e mãe de Gabriela, Gracilene, era coordenadora geral de Comércio Exterior da Suframa,  e sua filha Gabriela, estudante da Universidade do Amazonas (UEA). Ele mesmo, Jimmy, era um publicitário e foi assessor de um deputado estadual.

Mãe e filha foram encontradas mortas com requintes de brutalidade, pois Gracilene foi espancada e estrangulada no corredor do prédio, Gabriela asfixiada com um saco plástico e jogada na cama, onde foi encontrada pelos policiais. As duas moravam num apartamento do condomínio Parque Solimões, no Bairro da Raiz, onde o criminoso morou por alguns meses. O pai de Jimmy, Roberval Brito, foi encontrado morto em sua casa, no Bairro de São Raimundo, com um corte profundo no pescoço. Jimmy revelou que não participou do triplo homicídio, mas afirmou que o idealizou há três semanas.

Pela brutalidade e a posição da família na sociedade, o público compareceu em número surpreendente ao velório na funerária Almir Neves. A notícia do brutal e triplo homicídio está repercutindo no estado e até nacionalmente, também contribuiu para que o velório tivesse uma presença inesperada de muitos curiosos.

Enterro adiado

O fúnebre marcado para hoje, 23, foi transferido para amanhã, quinta-feira, 24. O motivo é o atraso na chegada da irmã de Jimmy, Jamile Belota, que se encontra na Alemanha. Sua chegada está prevista para a manhã desta quinta-feira, 24. Os corpos da mãe Gracilene e da filha Gabriela serão enterrados no cemitério São João Batista. De Roberval Brito será no cemitério do Bairro de São Raimundo, onde residia. /// Jersey Nazareno.

Redação