Trio é preso em flagrante por extorsão e porte ilegal de arma de fogo

By -

A Polícia Civil do Amazonas, representada pelo delegado Rodrigo de Sá, titular do 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP), falou nesta quarta-feira (22) sobre a ação conjunta com policiais militares da 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que resultou nas prisões, em flagrante, de Josilene Silva dos Santos, 36, conhecida como “Lene”; Pedro Pinheiro de Lucena, 35, chamado de “Pinheiro” e Yggor Hudson da Silva, 23, por extorsão e porte ilegal de arma de fogo.

De acordo com o titular do 20º DIP, o trio foi interceptado por volta das 16h de ontem, dia 21, na Rua do Comércio, Comunidade Parque São Pedro, bairro Tarumã, zona Oeste, após policiais militares da 20ª Cicom receberem uma denúncia anônima informando que duas mulheres   estariam sendo feitas reféns no local. Em ato contínuo, policiais civis e militares seguiram ao endereço informado e constataram a veracidade da delação.

“Encontramos Yggor dentro de um carro modelo Fiesta, de cor prata e placas DSO- 7559. Na ocasião, ele nos informou que Pedro estaria na porta da residência vigiando a área. Josilene estava dentro da casa mantendo reféns duas mulheres, de 39 e 51 anos. A infratora estava em posse de uma arma de fogo calibre 38 e utilizou o revólver para intimidar, ameaçar e agredir as vítimas. Antes da polícia chegar no local ela pediu a um dos comparsas para esconder o objeto em outro imóvel”, explicou Rodrigo de Sá.

A autoridade policial informou que durante a ação as equipes descobriram que as vítimas eram esposa e mãe de um detento conhecido como “Cicatriz”, que cumpre pena por estupro na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro da cidade.

“Em depoimento as vítimas informaram que “Cicatriz” vendeu um carro no valor de R$ 3 mil para outro detento, chamado de “Magrelo”, que cumpre pena no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), por homicídio qualificado e tentativa de homicídio. Como “Cicatriz” não entregou o produto, “Magrelo” determinou que o trio fizesse a cobrança. Os infratores estavam desde o início da tarde de ontem no local para tentar conseguir pegar o carro ou o valor pago por ele”, disse o titular.

Josilene, Pedro e Yggor foram presos e com eles os policiais apreenderam R$ 1,8 mil em espécie, quatro celulares e documentos pessoais. Em depoimento, Josilene informou que comercializava entorpecentes e que a droga estaria em uma casa localizada na Rua Palafita, Comunidade Parque São Pedro, bairro Tarumã, zona Oeste.

Em um barraco no bairro Santa Etelvina, zona Norte, foi encontrado o revólver utilizado na ação criminosa, calibre 38, com a numeração suprimida, além de cinco munições intactas e R$ 1,5 mil em espécie. Em outro ponto da cidade, dessa vez na Comunidade Parque São Pedro, os policiais apreenderam mais de mil pinos de plásticos vazios, que são usados para armazenar cocaína.

“Gostaria de parabenizar os policiais militares que atuaram em conjunto com a equipe do 20º DIP, que nos ajudaram a elucidar esse caso”, ressaltou Rodrigo de Sá ao longo da coletiva de imprensa.

A autoridade policial informou que, no decorrer dos procedimentos na delegacia, em consulta ao Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), foi constatado que Josilene já tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas e crime ambiental; Pedro por tráfico de drogas, falsidade ideológica e roubo; Yggor por receptação qualificada e roubo majorado.

O trio foi autuado em flagrante por extorsão e porte ilegal de arma de fogo. Após os procedimentos cabíveis na unidade policial Pedro e Yggor serão conduzidos ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) e Josilene será levada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF).

Roberto Brasil