Trio de atletas do AM vende trufa no trânsito para tentar viajar a campeonato em SP

By -

Três atletas do Amazonas lutadores de jiu-jítsu iniciaram uma verdadeira jornada para realizar um sonho: participar de uma competição nacional em São Paulo. Lucas Ribeiro, Gabriel Rebouças e Vitor Gabriel Souza, todos de 17 anos, começaram a vender trufas no trânsito em Manaus, na rotatória do Eldorado, para tentar arrecadar recursos e bancar viagem e hospedagem deles a Barueri (SP), onde acontece o Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu (CBJJ), de 23 a 30 de abril.

Os três lutam na mesma academia em Manaus, localizada na periferia da cidade. Classificados para participar do campeonato nacional, nenhum deles conseguiu patrocínio ou ajuda do poder público para custear os gastos com passagem aérea e estadia. “A gente quer realizar o sonho de lutar no campeonato brasileiro, mas não temos condições nem patrocínio. Estamos correndo para vender trufa no sinal. Toda manhã a gente vai lá vender”, explicou Lucas Ribeiro.

E a rotina em busca do sonho não é fácil. Eles acordam cedo todos os dias, passam a manhã vendendo trufas sob o sol, e à tarde seguem para escola. À noite encaram um treino pesado com musculação, funcional e, claro, jiu-jítsu. “A gente sai de casa às 5h da manhã e nos encontramos na Bola (rotatória) do João Paulo (Zona Leste). De lá pegamos o busão e chegamos no Eldorado às 7h ou 7h30, porque as vezes o engarrafamento é grande. Aí vendemos trufa até umas 11h, que é quando temos que ir para a escola. À noite é o treino”, disse Gabriel.

Eles, inclusive, vestem kimonos no trânsito para vender as trufas e também carregam um cartaz divulgando o trabalho. Uma forma de sensibilizar o público. A ideia de tudo isso veio de Vitor. “É a minha tia que faz a trufa. Ela já vendia então dei a ideia, e eles concordaram. Encomendamos dela para vender. Cada trufa a custa R$ 2. Tem de maracujá, brigadeiro, côco, amendoin e castanha”, informou. Antes da trufa, eles já haviam tentado juntar dinheiro com a realização de feijoadas, mas não deu certo.

“Tentamos fazer feijoada, mas não conseguimos, deu um problema aí. Agora tentamos a trufa e está querendo dar certo. Nosso sonho é viajar e lutar fora, ser campeão brasileiro e mundial, e tentar a vida sendo campeão”, confessou Gabriel Rebouças. E a empreitada vem dando certo. “Começamos a vender semana passada, mas já conseguimos uma boa grana, mas ainda falta muito para bancar tudo para nós três”.

Treinamento

Os três atletas são da academia Norte Gold Team, localizada no bairro Santa Etelvina, na Zona Norte da capital. Eles treinam gratuitamente por meio de um projeto social mantido pelo proprietário do estabelecimento e treinador deles, Eric Tinoco, que os acompanha desde o início. “Eles são ligados ao projeto social da academia”, disse Tinoco. Já as sessões de musculação e o funcional são pagas através de patrocínio. “A musculação, que acontece no andar de baixo do prédio, eles conseguiram patrocínio”, explicou o treinador.

Lucas, Gabriel e Vitor (Fotos: Aguilar Abecassis)

Entretanto, o esforço dos garotos na rotina pesada pode trazer prejuízos. O tempo e energia gastos na venda das trufas poderiam ser usados nos treinos e estudos. “Falta um mês e meio para o campeonato. Infelizmente eles não vão poder ficar vendendo no trânsito, até porque os treinos são intensos. E antes da competição nacional também tem outras competições aqui. Tem a seletiva amazonense agora, que eles vão participar. Eles têm que manter o ritmo de luta. Os últimos 30 dias serão os mais intensos”, disse Tinoco.

Gabriel confessa que a venda das trufas pode prejudicá-los, mas ele não nega o esforço. “Atrapalha um pouco o nosso estudo. A gente vai para o sinal, vai para a escola e depois vai direto para o treino. Quando dá umas 21h30 vamos para casa descansar para o outro dia. Mas temos que correr atrás do nosso sonho. Temos que ter força de vontade. Para ser campeão tem que ter força de vontade”, disse o jovem atleta.

Vitor também concorda com o colega. “Seria um horário que poderíamos estar disponíveis para correr, treinar, fazer preparação física. Só que não tem patrocinador e o jeito é a gente ir vender”, disse. E ele faz um convite. “Sábado e domingo agora vamos passar o dia todo vendendo, das 5h da manhã até 19h”, ressaltou.

Amizade e esporte

Os três jovens lutadores de jiu-jítsu colecionam dezenas de medalhas de outras competições regionais e nacionais que foram campeões. Lucas é faixa azul e luta há cerca de quatro anos, Gabriel é faixa branca e treina entre dois a três anos e Vitor, também faixa branca, está no jiu-jítsu há três anos. “A gente se conheceu treinando. Eu e o Vitor já éramos amigos, e depois chegou o Lucas”, explica Gabriel.

Quem quiser ajudar o trio de atletas pode comprar trufas com eles na rotatória do Eldorado, no conjunto Eldorado, bairro Parque Dez, na Zona Centro-Sul de Manaus, de segunda à sexta, das 7h às 11h, ou nos finais de semana durante todo o dia. Para contribuir com patrocínios, os números de telefone dos garotos são (92) 98471-0508 (Lucas), 99109-7068 (Gabriel) e 99483-3119 (Vitor).

PORTAL A CRÍTICA

Roberto Brasil