Trabalhadores da pesca escolhem nova diretoria da Colônia dos Pescadores de Anamã

By -

Pescadores do município de Anamã, no interior do Amazonas, participaram hoje (18) da eleição da presidência e do conselho fiscal da Colônia dos Pescadores de Anamã. Foi eleito, por aclamação, o pescador Jane dos Santos Menezes, que continua no cargo para o triênio 2017/2020.

A eleição foi organizada pela Federação dos Pescadores do Amazonas (Fepesca-AM) e contou com a participação de mais de 300 pescadores. A escolha da presidência e do conselho fiscal aconteceu no clube Talimanos, no Centro de Anamã.

A eleição foi presidida pelo presidente da Fepesca, Walzenir Falcão, que também preside a Confederação Nacional dos Pescadores e Aquicultores (CNPA). O setor pesqueiro de Anamã possui mais de 1,2 mil trabalhadores, sendo responsável pela movimentação de grande parte da economia do município.

Após a escolha da presidência, os trabalhadores da pesca discutiram temas como reforma estatutária e a importância de manter em dia as mensalidades junto à Colônia dos Pescadores.

Outro tema discutido foi a transferência da Secretaria Nacional da Pesca para o Ministério da Indústria, Comercio Exterior e Serviços (Mdic). Anteriormente a Secretaria funcionava junto ao Ministério da Agricultura, mas no dia 13 deste mês a presidência da República transferiu o órgão para o novo ministério.

Walzenir Falcão disse que os pescadores de todo o País estão otimistas com a mudança, pois as ações relacionadas à pesca estavam paralisadas no Ministério da Agricultura. “Com a transferência para o Mdic, acreditamos que a pesca voltará a crescer no Brasil, gerando mais empregos e, principalmente, mais renda para os pescadores”, afirmou Walzenir.

O presidente da Fepesca também falou da mobilização dos pescadores que acontecerá em Brasília, no dia 28 de março. “Vamos reunir mais de dois mil pescadores de todas as regiões do Brasil, que irão à Brasília para conversar com senadores, deputados federais e ministros”, destacou Falcão.

Entre os temas que serão tratados em Brasília está a mudança nas regras de aposentadoria dos pescadores, prevista na reforma da Previdência e Trabalhista. “Querem que os pescadores trabalhem até dez anos a mais para receber a aposentadoria integral. Somos contra essa medida e vamos lutar para que ela não seja aprovada”, concluiu Falcão.

Roberto Brasil