Torcida abraça Seleção Brasileira em treino aberto na Arena da Amazônia

By -

Uma multidão de torcedores apaixonados prestigiou no início da noite deste sábado, dia 2, o treino aberto da Seleção Brasileira de Futebol, na Arena da Amazônia, em preparação para o jogo contra a Colômbia, no dia 5 de setembro, em Barranquilla, pela 16ª rodada das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018. Durante quase duas horas, os comandados de Tite levantaram um público de 36.125 pessoas e mostraram bastante entrosamento. Em campo, teve até amazonense atuando com os ídolos. A ação contou com apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel). 

A Seleção Brasileira, logo no início, foi dividida em dois grupos. Enquanto os titulares na vitória do Brasil sobre o Equador realizaram um treino leve, os reservas realizaram um trabalho técnico com a bola.

Após a preparação, que contou com reverências dos jogadores aos amazonenses, o lateral-esquerdo Felipe Luís frisou o calor da torcida. Na partida contra o Colômbia, ele assume o lugar de Marcelo, suspenso por conta do terceiro amarelo.

“É um momento maravilhoso, muito graças ao trabalho do técnico Tite. São nove vitórias seguidas nas eliminatórias e vaga já garantida na Rússia. O ambiente é tão bom que todos, até os reservas, se apresentam felizes apenas por poderem defender a Seleção. Ter um público de 35 mil pessoas é um sonho. A gente percebe que conseguimos trazer a torcida para o nosso lado. E aonde formos jogar, esperamos que a torcida esteja sempre do nosso lado”, comentou.

Torcida amorosa

Antes do time canarinho realizar a preparação, o mascote brincou com a torcida e uma das sortudas a pegar a bola lançada pelo Canarinho foi Adriene Rodrigues. Pela primeira vez na Arena da Amazônia, a jovem de 21 anos veio para ver principalmente o jogador Neymar e, de quebra, ainda conquistou uma lembrança que vai guardar para a vida inteira.

“Eu cheguei muito cedo, meio-dia, para poder pegar um lugar bem próximo do campo. Deu certo, porque quando jogaram a bola, não parou em mim, mas foi descendo e parou na minha mão. Agarrei com tudo e não soltei mais, foi uma felicidade maravilhosa. Nossa, eu nunca tinha vindo na Arena e logo na primeira vez eu já consigo ganhar essa bola. É muita sorte. Vou guardar para sempre”, destacou a moradora do São Raimundo.

Ao lado da avó Elizete Pinheiro, 58, o pequeno Matheus Andrade, de 8 oito anos, portador de mielomeningocele, estava eufórico com a oportunidade de ver de perto a Seleção Brasileira. Moradores do Japiim, os dois chegaram no estádio às 13h, e afirmaram que o esforço em conseguir o ingresso na quinta-feira, dia 31, valeu cada segundo.

“Ele está muito feliz, estava super ansioso e fui para fila do ingresso na quinta para conseguir estar aqui com ele. Fiquei algumas horas, mas tudo valeu a pena, pois isso para o Matheus é a realização de um sonho, um momento que vamos guardar. A gente nunca tinha vindo na Arena e hoje está sendo muito especial”, frisou dona Elizete.

Amazonenses em campo

Outro que vai ter lembranças eternas do dia 2 de setembro é Diego Duarte, mais conhecido como Maradona. O jovem de 28 anos foi escolhido para atuar no treino e completar o time canarinho, após um atleta amazonense até então escalado para a ação ter atrasado. Diego é acadêmico e finalista de Educação Física e iniciou no futebol aos 13 anos até os 23, passando pelo Cliper e São Raimundo, tanto pelo Infantil, quanto Juvenil e Juniores.

“Foi uma felicidade enorme, não tenho nem palavras para descrever tudo o que vivi hoje. Fui chamado, ganhei uma chuteira do Daniel Alves e foi muito bom conhecer todos. Eles são super legais, falei com o Neymar, e com todos os outros, e coloquei o meu melhor quando estive no gramado. Foi um dia mais que especial, inesquecível”, destacou Maradona.

Ao lado de Diego, o também amazonense Rafael Renardy, atual Nacional, também treinou junto com a Seleção Brasileira.

Para o titular da Sejel, Fabricio Lima, o treino aberto demostrou novamente o carinho dos amazonenses com o time verde e amarelo, que desde a chegada no aeroporto recebeu com entusiasmo o time.

“Foi bonito de ver todo o empenho da torcida amazonense em se esforçar para estar perto da Seleção, isso desde a troca dos ingressos. Com esse sucesso, conseguimos ajudar 11 instituições carentes, doar mais de 35 toneladas de alimentos, e novamente escrevemos uma bonita história com a Seleção na Arena da Amazônia, pois reunimos o maior público num treino da equipe. Tenho certeza que, desta forma, a tendência é eles voltarem cada vez e vamos trabalhar por isso”, afirmou Lima.

*Com informações da assessoria

Roberto Brasil