TJAM acata pedido de MP e Adail pode voltar para prisão

By -

Adail foi condenado a 11 anos por crimes de exploração sexual infantil, mas teve a pena extinta em janeiro deste ano

A desembargadora Carla Reis do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), acatou, nesta quinta-feira (9), a medida cautelar feita pelo Ministério Público do Estado (MP) e suspendeu o indulto concedido ao ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro.

Conforme o MP, a medida tem efeito imediato e obriga o ex-prefeito a voltar para a prisão, no regime que vinha cumprindo antes de ser beneficiado pelo indulto.

O Procurador-Geral de Justiça em exercício, Pedro Bezerra, e promotores que atuaram na elaboração do recurso e da medida cautelar, realizam coletiva de imprensa nesta tarde para dar mais detalhes sobre o caso.

Adail teve a pena extinta em janeiro deste ano após o Tjam, com base no parecer favorável do MP, concluir que o ex-político se enquadrava nos requisitos do perdão presidencial.

Condenação

Em novembro de 2014, Adail Pinheiro foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam) a 11 anos em regime fechado pelos crimes de favorecimento à prostituição, envolvimento em rede de exploração sexual, abuso sexual e corrupção de menores.<<<Em Tempo

Roberto Brasil