Tia Eron fez contrato com inscrita no Bolsa Família

By -
Segundo Tia Eron, os serviços foram prestados

Segundo Tia Eron, os serviços foram prestados

A deputada Tia Eron (PRB-BA), fiel da balança da salvação ou da cassação do mandato de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), usou R$ 7,5 mil de sua cota parlamentar para remunerar uma mulher beneficiária do Bolsa Família. O programa do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) se destina a famílias pobres com renda per capita de até R$ 154.

O gabinete da deputada contratou empresa em nome de Taiza de Souza Costa para divulgação da atividade parlamentar, com cinco repasses mensais de R$ 1,5 mil entre outubro de 2015 e abril deste ano. No período, Taiza recebeu R$ 233 por mês do Bolsa Família, referente a dois filhos cadastrados no programa.

Questionada pelo GLOBO, Tia Eron disse desconhecer que a mulher contratada e remunerada com dinheiro da cota parlamentar é beneficiária do Bolsa Família, mas afirmou que os serviços que contratou foram prestados. “Caso seja verdade, isso revela uma grave falha no filtro do referido programa social. Nossa assessoria jurídica já foi notificada e, em se confirmando o fato, o gabinete rescindirá de imediato o contrato”, informou a deputada, por meio da assessoria. O ministério informou que vai abrir um procedimento para averiguar se Taiza tem direito ao benefício.

Os pagamentos de R$ 1,5 mil cada foram feitos em outubro e novembro de 2015, e em janeiro, março e abril deste ano. As notas fiscais registradas no sistema da Câmara (que torna público o uso da cota parlamentar) apontam que os gastos se referiram a “produção de notícias e divulgação da atividade parlamentar”. A maioria das notícias, porém, não trata do mandato de Tia Eron, mas das articulações políticas da deputada em torno dos pré-candidatos do PRB a prefeituras baianas, nas eleições municipais deste ano.

Pelo Bolsa Família, Taiza recebeu R$ 2.796 em 2015 e R$ 932 até abril deste ano, como consta no Portal da Transparência do governo. O GLOBO ligou para os telefones informados na Receita Federal e no site de Taiza. O marido atendeu às ligações:

— Estamos buscando essas informações. Desconheço e não posso confirmar — limitou-se a dizer.

Presidente licenciado do PRB, o ministro Marcos Pereira (Desenvolvimento) negou que vá orientar o voto de Tia Eron, que será decisivo no Conselho de Ética:

— A deputada tem toda a liberdade para votar com a consciência dela. Sou presidente licenciado do partido, o senador Eduardo Lopes é o presidente em exercício. Nem ele nem eu iremos interferir no voto da deputada.

(Com Agência O Globo)

Roberto Brasil