Texas executa ‘veterano do corredor da morte’

By -
Bower testemunhou 522 das 525 execuções no Texas

Bower testemunhou 522 das 525 execuções no Texas

O Estado do Texas, nos Estados Unidos, executou na quarta-feira (3) Lester Bower, um homem de 67 anos que passou as últimas três décadas no corredor da morte condenado pelo assassinato de quatro pessoas em 1983, conforme noticiou a rede CNN. Desde o restabelecimento da pena capital no Estado, em 1982, Bower é o homem mais velho e o que mais tempo permaneceu no corredor da morte (31 anos) no Texas até ser executado, de acordo com o Centro de Informação sobre a Pena de Morte (DPIC, sigla em inglês).

Bower foi declarado morto às 18h36 (horário local, 20h36 de Brasília) após ser executado com uma injeção letal na prisão de Huntsville, segundo notificou o Departamento de Justiça Criminal do Texas. Suas últimas palavras foram: “Muito se escreveu sobre meu caso e nem tudo é verdade. Mas agora o tempo terminou e é hora de seguir adiante. Quero agradecer a meus advogados por tudo o que fizeram. Eles me deram os últimos 25 anos da minha vida”. O preso, que sempre se declarou inocente, também teve palavras de agradecimento para sua esposa, suas duas filhas, amigos e parentes por seu “apoio inquebrantável”.

Veterano do corredor da morte texano, Bower durante todo este tempo testemunhou 522 das 525 execuções realizadas no Estado. Seu caso remonta a 8 de outubro de 1983, quando Bower decidiu comprar um pequeno avião de Bob Tate, que nesse dia apareceu morto junto a outras três pessoas, todos com tiros na cabeça, em um aeroporto privado situado em um rancho de Sherman, no norte do Texas. A princípio, a investigação vinculou os assassinatos com o tráfico de drogas, mas o registro de ligações de Tate situou Bower no local do crime.

Bower foi detido quando os investigadores, para os quais mentiu para que sua esposa não descobrisse que tinha comprado o avião, encontraram partes do veículo em sua garagem. Os procuradores do caso acusaram Bower de matar Tate para roubar o pequeno avião e de assassinar as outras três vítimas quando apareceram de forma inesperada, apesar de não haver testemunhas e de a arma do crime nunca ter sido encontrada. “Visto em perspectiva, eu sou o responsável de estar aqui, já que não colaborei com a investigação”, lamentou Bower em entrevista recente.

Em um recurso de última hora apresentado perante a Suprema Corte, os advogados de Bower tentaram impedir a execução ao argumentar que as três décadas de seu cliente no corredor da morte já representaram um castigo “cruel e incomum”, proibido na Constituição americana, mas os magistrados o rejeitaram. Durante este tempo, o Texas tinha tentado executá-lo em seis ocasiões, a última em fevereiro deste ano, mas os tribunais tinham suspendido a execução graças à estratégia legal de sua defesa. Bower se transformou hoje no 15º preso executado este ano nos Estados Unidos, oito deles no Texas. Desde que a Suprema Corte reinstaurou a pena de morte em 1976, foram executados 1.409 presos em todo o país, 526 deles no Texas. VEJA ONLINE

 

Roberto Brasil