Táxis estão sendo fiscalizados e adesivados em Parintins

By -

fiscalizacao-e-adesivagem-taxis-parintinsNa Terra dos Bumbás, a Empresa Municipal de Trânsito e Transporte (EMTT) realiza até dia 20 de junho o processo de inspeção de pelo menos 136 táxis de Parintins em preparação ao Festival Folclórico. A ação iniciou no dia 6 de junho com a fiscalização das condições dos veículos e orientação dos condutores para seguirem as leis de trânsito. A partir da próxima semana serão fiscalizados mototaxistas e outros transportadores comerciais.

O membro da empresa de trânsito, coronel Adson Silva, explica que durante a ação é feita a conferência do alvará de transporte de passageiros e cargas. Ele acrescenta que antes de iniciar as inspeções, ocorreu reunião com os presidentes de cooperativas, associações e sindicatos, onde todos avaliaram como positiva a organização proposta pela EMTT.

O coronel Adson ressalta ainda que até esta sexta-feira, 18, 86 veículos receberam o adesivo de inspeção. “Além de verificar os equipamentos obrigatórios e de segurança, estamos examinando se a habilitação dos condutores corresponde à categoria de serviço remunerado, o que está sendo bem aceito pelos taxistas”, destaca.

De acordo com o presidente da EMTT, Nezias Brelaz, a inspeção dos veículos é apenas uma das ações que tem a finalidade de organizar o trânsito da cidade. “Também prosseguimos com as pinturas das faixas de pedestres nas vias públicas, vamos oferecer curso de legislação e direção defensiva para tricicleiros, assim como convocar pelo menos 50 profissionais recém capacitados pelos cursos, para somar com nossa equipe na Operação Festival”, pontua.

Para o presidente do Sindicato dos Taxistas, Raimundo Pimentel, é importante a iniciativa que vem ocorrendo desde 2013 pela Prefeitura de Parintins. Ele acredita que a inspeção não é uma forma de punição, e que quem trabalha com transportes de cargas e de pessoas deve cooperar para ter um trânsito organizado e ainda mais seguro. O trabalho ainda facilita a identificação dos que atuam de forma clandestina.

Roberto Brasil