Sustentabilidade será prioridade em nossa gestão, aponta Luiz Castro

By -

LUIZ-CASTRO

A sustentabilidade está diretamente relacionada ao desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente, usando os recursos naturais de forma inteligente para que eles se mantenham no futuro. E esta será a forma de governar Manaus se o candidato Luiz Castro (Rede) for o prefeito da cidade.

A afirmação foi ressaltada durante reunião com representantes de instituições de defesa animal e ambiental, realizada na noite desta quarta-feira (14). O evento reuniu cerca de 30 representantes que ouviram do prefeiturável e de seu vice, Aglei Júnior (PMN), as propostas de ambos para uma Manaus mais sustentável.

Luiz Castro abriu a reunião lembrando suas várias ações na causa ambiental, como a Lei 247/2015, que institui normas e procedimentos para reciclagem, gerenciamento e destinação final de lixo tecnológico; a regulamentação da eutanásia de cães e gatos; a instituição de árvore-símbolo de cada município e a separação dos resíduos recicláveis descartados em órgãos públicos e a destinação para organizações de catadores.

“Sabemos que o meio ambiente está diretamente ligado à saúde humana e também a dos animais. Vamos criar o corredor ecológico para o sauim-de-coleira e, dessa forma, ajudar tanto o macaco-símbolo quanto a população em geral: o entorno de uma árvore chega a ser até 5º a menos que a temperatura do momento”, assinalou o candidato da Rede.

Geração de renda é sustentabilidade

Dentre as propostas apontadas por Luiz Castro está o programa de educação ambiental, especialmente com a população que mora próximo aos igarapés. A prefeitura gasta R$ 6 milhões por ano limpando os cursos de rio.

“Faremos com que as pessoas vendam os recicláveis para a prefeitura. Ao invés de jogaram no igarapé, a família será remunerada por ajudar a manter a cidade limpa. Estes resíduos serão repassados para associações e cooperativas de catadores”, afirmou.

Aglei Júnior salientou outra proposta, a de promover a conversão progressiva para o uso de gás e/ou biodiesel no transporte público coletivo em Manaus. De acordo com ele, os veículos oficiais também utilizarão o combustível ecológico.

Áida Fernandes