Susam reforça orientação para que os grupos prioritários busquem a vacina contra a Gripe

By -

gripe-vacinaçao2Todos os 62 municípios do Amazonas participam, neste sábado (9), do Dia D de Vacinação contra a Influenza, promovido pelo Ministério da Saúde. A mobilização integra a campanha de imunização que está acontecendo em todo o País desde o último dia 4 e que, no Amazonas, teve início de forma antecipada, no dia 27 de abril. O secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, reforça a recomendação para que as pessoas integrantes dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde para tomar a vacina, aproveitem este sábado, em que todas as Unidades Básicas de Saúde estarão abertas, das 8h às 17h, para receber a imunização.

O secretário destaca que a vacina deve ser administrada nas crianças de seis meses a menores de cinco anos; nas grávidas, em adultos a partir de 60 anos, nas puérperas (mulheres que tiveram bebê e estejam no período de até 45 dias após o parto); em portadores de doenças crônicas não transmissíveis; indígenas e trabalhadores da saúde. No Amazonas, a estimativa é de que 932.291 pessoas sejam imunizadas, na campanha deste ano, que está prevista para se estender até o dia 22 deste mês.

A influenza é uma doença respiratória infecciosa de etiologia viral, que pode levar a complicações graves e ao óbito. Para preveni-la, é importante manter os hábitos saudáveis de higiene, como  lavar as mãos sempre e manter os ambientes arejados.  O diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), infectologista Bernardino Albuquerque, explica que a criação de anticorpos ocorre entre duas e três semanas após a aplicação da vacina. “Por isso, é importante que as pessoas procurem a vacinação no período da campanha”, frisou.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina contra a Influenza é uma das medidas mais eficazes de prevenção a complicações e casos graves de gripe. Conforme o Ministério, há estudo que demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

Bernardino ressalta que, em pessoas com doenças agudas febris moderadas ou graves, a recomendação é adiar a vacinação até a resolução do quadro. A vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores, bem como a qualquer componente da vacina ou alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados.

Roberto Brasil