Situação de estudantes do Bolsa Universidade vai ser acompanhada em “tempo real”

By -

bolsa-universidade-inscricoes-01Informações referentes à situação acadêmica dos estudantes contemplados pelo Programa Bolsa Universidade (PBU), da Prefeitura de Manaus, passarão a ser repassadas ao Município, em tempo real, pelas Instituições de Ensino Superior (IES) parceiras do programa. Um novo módulo do sistema online criado pela Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducaional (Espi) agora permite que as próprias Universidades atualizem os dados dos bolsistas, reportando, por exemplo, casos de não renovação de matrícula, abandono, reprovação ou conclusão de graduação – todas situações que culminam com o desligamento do programa.

O chamado “acompanhamento acadêmico”, com a constante atualização das informações dos bolsistas, já era feito entre as Universidades e a Espi, mas não de maneira tão integrada. Antes, as instituições de ensino reuniam os dados em forma de planilhas e repassavam à Escola, que ficava responsável por atualizar o sistema online. Com a implantação da nova rotina, as universidades passam a atualizar os dados dos estudantes diretamente no sistema, agilizando a atualização das informações e minimizando a possibilidade de acontecerem desligamentos indevidos.

“Antes, as instituições de ensino enviavam as planilhas e nós fazíamos atualização do sistema a partir dessas informações. Agora, com o módulo acadêmico, a instituição apresenta essas informações diretamente no sistema. Então, todo o começo de semestre, a IES vai informar à Espi, via sistema, como está a situação acadêmica do bolsista, se ele se matriculou, trancou matrícula, se reprovou em mais de 50% das disciplinas ou se concluiu o curso. Todas são situações que deixam o bolsista passivo de desligamento [do programa Bolsa Universidade]”, explica a diretora-geral em exercício da Espi, Andreia Brasil Santos.

A nova rotina começou a ser desenvolvida no começo do ano. No início do mês de maio, a Espi deu início ao treinamento junto às universidades. Até o momento, nove instituições de ensino foram capacitadas e já passaram a utilizar o sistema. Outras quatro instituições parceiras do Programa Bolsa Universidade vão receber o treinamento até o fim de junho, completando a implantação do processo. “A troca de informações pelo sistema garante mais agilidade no procedimento de acompanhamento acadêmico que a Espi precisa fazer com os bolsistas, diminuindo o quantitativo de trabalho e esforço tanto da Escola quanto da instituição”, avalia.

Boa aceitação entre as universidades

A diretora-geral ressalta que a novidade vem para tornar mais funcional o acompanhamento que já era feito por meio de expedientes físicos. “Fazendo agora pelo sistema, a Espi consegue ter um acompanhamento quase que em tempo real da situação acadêmica do bolsista, e assim conseguimos desenvolver ainda melhor nossa função de gestor do Programa Bolsa Universidade”, complementa.

Desde o começo do mês de maio, a Espi está fazendo treinamentos com as instituições pra mostrar o funcionamento do sistema. O novo módulo foi muito bem aceito pelas instituições de ensino superior, afirma Andreia Brasil Santos, lembrando que os servidores da Espi também foram capacitados quanto ao uso da nova rotina do sistema.

Roberto Brasil