Sindicato dos Professores de Barreirinha denuncia prefeitura por atraso de salários

By -

greve-professores-barreirinha-colagemO deputado Dermilson Chagas (PEN) afirmou nesta quarta-feira (14), que o Sindicato dos Profissionais em Educação da Rede Pública de Barreirinha (SINPROBAE) entrou com representação na Justiça contra o prefeito do município Mecias Batista (PSD), devido ao não pagamento do salário da categoria. Segundo o sindicato, 120 professores da área rural e da sede do município adeririam à paralisação que já dura três dias.

Chagas afirma que o não pagamento do salário implica em transtornos aos professores. “Os funcionários públicos estão sem receber há quatro meses, ainda mais em uma área tão importante como educação. Falta senso de prioridade. Há outros desdobramentos: muitos funcionários públicos fizeram empréstimos consignados e esse valor não está sendo repassado aos bancos. Muitos estão com nome no SPC e ainda há a questão da retenção do INSS, que é crime”, disse.

O SINPROBAE enviou um documento ao promotor de Justiça Marcelo Augusto Silva, da comarca do município. A categoria alega que falta merenda escolar e transporte para os estudantes além de não haver estrutura básica nas escolas. Os professores denunciam também o não repasse de tablets para alunos e professores prometidos para o início do ano letivo deste ano, o não cumprimento do acordo por parte da prefeitura em reajustar em 11,36% o salário da categoria, além da não equiparação do salário conforme determina o Piso Nacional para os Profissionais da Educação Básica. 

Ainda de acordo com o parlamentar, problema semelhante ocorre no município de Codajás, onde também há atraso de fornecedores. Chagas afirmou ainda que o município enfrenta ainda a falta de medicamentos.

Roberto Brasil