Servidores federais rejeitam proposta governamental que aumentaria em 21,3% os salários

By -
Opercentual seria pago ao longo de quatro anos

O percentual seria pago ao longo de quatro anos

A proposta do Governo Federal de reposição de perdas salariais de 21,3% em 4 anos foi rejeitada, por unanimidade, pelos 159 representantes de 80% dos servidores do Executivo Federal de todo o Brasil, presentes na plenária nacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef) que aconteceu nesta semana em Brasília.

Um total de 18 Estados brasileiros, entre eles o Amazonas – representado, entre outras entidades, pelo Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Amazonas (Sindsep-AM) – estiveram representados na plenária.

A proposta da Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do Ministério do Planejamento já havia sido rejeitada pela maioria absoluta dos servidores. Além de rediscutir a proposta reapresentada, a plenária apontou rumos e diretrizes para o processo de mobilizações já em curso.

Atualmente a Condsef registra paralisação de atividades em 21 estados e no Distrito Federal de uma série de categorias. Além dos servidores do Judiciário, INSS, professores e técnicos das Universidades, somam forças ao movimento de pressão dos servidores por um fim aos impasses instalados na mesa de negociações servidores do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Incra, Saúde Indígena, Funasa, INPI, Agricultura, Funai, Ibama, Cultura, Instituto Evandro Chagas, administrativos fazendários, da AGU e também da PRF, Sesai, Dnocs, Ipen e outros.

Na segunda-feira, dia 31, os servidores vão apresentar uma contraproposta de 19,3% de índice de incorporação das gratificações de desempenho dividido em 2 anos, começando a partir de janeiro de 2016. Os servidores também aprovaram uma plenária nacional para o próximo dia 9 de setembro e atos de paralisação nos Estados.

A reunião com o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasef) na segunda, está marcada para às 10 horas. A reunião de hoje teve que acontecer na sede do Dnit, pois em protesto pelo tratamento considerado de descaso, servidores ocuparam as entradas e saídas de acesso ao Planejamento.

O Secretário Geral do Sindsep-AM, Walter Matos, disse que o governo vem ignorando os apelos dos servidores para que sejam consideradas as perdas inflacionárias já acumuladas pelos trabalhadores do setor público. “Incluindo a inflação deste ano que já supera os 9% e não está sendo considerada na proposta reapresentada, a Condsef segue defendendo a ampliação da pressão para alterar esse cenário que empurra índice de 21,3% em 4 anos e que não garante a reposição de perdas já acumuladas pela categoria”, concluiu Matos.

Roberto Brasil