Semsa reforça alerta para vacinação contra influenza

By -

Com o registro do aumento de 45,4% no número de casos notificados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em Manaus, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) reforça o alerta ao público alvo prioritário da 19º Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza (Gripe) sobre a importância da imunização para a prevenção da doença.

O aumento registrado é referente aos quatro primeiros meses de 2017, em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram registrados 46 casos de SRAG, sendo oito confirmados como causados pelo o vírus Influenza.

“Este ano, de janeiro a abril, já foram notificados 86 casos da Síndrome Respiratória Aguda. Desse total, dez foram confirmados com o vírus da Influenza. A Semsa ainda aguarda o resultado laboratorial de outros 41 casos para confirmação do tipo de vírus ou bactéria que podem levar à síndrome”, informa o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto.

De acordo com o secretário, a imunização é essencial para os grupos prioritários da Campanha de Vacinação contra Influenza, já que representam o grupo de pessoas que correm mais riscos de agravamento de doenças respiratórias.

“A influenza é uma patologia que pode levar a complicações graves e ao óbito, especialmente nos grupos de alto risco para as complicações da infecção viral, como é o caso de crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais”, explica Homero de Miranda Leão.

A gerente do Centro de Informações Estratégias e Vigilância em Saúde da Semsa, Marinélia Martins Ferreira, destaca que o aumento no número de casos, além de ser ocasionado pelo período sazonal com o aumento das chuvas, também está relacionado ao crescimento no número de profissionais de saúde realizando a notificação.

“Os profissionais de saúde estão orientados a ser mais vigilantes e notificar todos os casos atendidos nas Unidades, que atendam a definição de SRAG. Também é necessário o envio da notificação à vigilância municipal para que o caso seja registrado no sistema de informação específico, seja realizada a investigação domiciliar e a ação de quimioprofilaxia se necessário” explica Marinélia Ferreira.

Roberto Brasil