Sarau lítero-musical “Metáforas” com Regina Melo e Adalberto Holanda

By -

sarau-literario-1Da Redação – Na próxima quinta-feira (13), o Casarão de Ideias, localizado à Rua Monsenhor Coutinho, 275, Centro de Manaus, estará realizando às 20h o sarau lítero-musical “Metáforas”, com Regina Melo e Adalberto Holanda. No repertório poemas de autoria da escritora, poeta, produtora de audiovisual e jornalista Regina Melo e outros autores como Leminsk, Brecht, Vinicius de Moraes e Neruda. Adalberto Holanda, músico e compositor amazonense acompanhará ao piano e violino e também executará músicas de sua autoria. 

Em entrevista exclusiva ao Blog da Floresta a artista Regina Melo disse que o importante é reunir amigos para falar de esperança, em meio ao caos que nos encontramos e diante da aparente imobilidade da sociedade. “Acredito que há uma revolta sendo gerada que adubará as flores que irão surgir, é assim esta a ideia de Metáforas. A linguagem construída para a nossa luta. ´Vamos falar de amor, de desejos, de esperanças, de luta porque acredito estar tudo junto, misturado. Não é nada além do que a realidade, pois nossos sonhos são reais”, destaca. 

sarau-literario-2“Nossa esperança é como um bolo, onde cabem estratégias, sonhos, alegrias, desejos, amores. Nada disso é vão. Tudo isso é democrático e como as metáforas cabe a nós darmos os sentidos que as palavras, as coisas, as atitudes, os sonhos, a vida merece”, salientou Regina Melo. 

Poesia ao vivo 

“Os meus sonhos, ora sonhos são verdades bem reais. Esse mágico momento Nesse tempo de agonia Esse tempo de lembrança Nessa tarde, nessa dança Esse tempo de corrida Nesse palco, nessa vida Esse tempo de combate Desse furor que me bate Não me mates, não me mates Não me mates de manhã Deixa a noite dos meus olhos Invadir todo esse sol A luz da manhã de hoje As trevas da tarde de amanhã As noites nas noites do tempo O sempre alcançado já foi O tempo que sobe as esquinas É o mesmo que desce as escadas A voz que ecoa na noite É a mesma que cala no dia O vento que venta no fogo É o mesmo que paira na brisa Do meu coração”, Poema de Regina Melo. 

sarau-literario-3Sobre a escolha do nome Metáforas para o Sarau lítero-musical, Regina disse que “essa história de tomar emprestado as palavras é engraçado, porque às vezes não mais as devolvemos. Às vezes trocamos por outras palavras, por outros sentidos que se tornam posseiros de nossas emoções. E assim, nessa vida de analogias, vamos construindo frases, versos que se transformam noutros, ganham novos sentidos e se transformam em Metáforas!”.

“Amo-te com a calma dos loucos E a ansiedade dos desesperados Com os espaços vagos e roucos Da garganta à planta dos pés…” – trecho do poema “Amo-te”, de Regina Melo). 

“É como fazer amor. Encher, esvaziar o prazer Encher, esvaziar a dor. É tudo e nada. Um jogo de ilusão. Onde o tudo parece caber em si e o nada é a perfeição” – trecho poema “Eclipse”, de Regina Melo. (Texto e Fotos: Mercedes Guzmán)

Roberto Brasil