Rodoviários de Manaus paralisam 70% da frota na sexta em apoio ao movimento nacional

By -

Os usuários do transporte coletivo devem ser impactados pela Greve Geral agendada para todo o País nesta sexta-feira, em protesto contra as reformas da Previdência e Trabalhistas propostas pelo Governo Federal.

O Sindicato dos Rodoviários uniu-se ao Sindicato dos Metalúrgicos e a paralisação irá afetar os serviços de transporte coletivo, bem como as fábricas do Distrito Industrial. A oficialização da adesão acontecerá nesta quarta-feira, em coletivo dos presidentes de ambos os sindicatos, Givancir Oliveira e Valdemir Santana, na Central Única dos Trabalhadores de Manaus.

Segundo Givancir Oliveira, 70% da frota deve ser paralisada a partir das 4h da manhã de sexta-feira (28) até o meio-dia.“Vamos aderir a paralisação geral de greve no Brasil. Queremos lutar contra a reforma trabalhista e da previdência. Além de continuar defendendo um acordo sobre o dissídio coletivo da categoria, que o Sinetram continua fugindo”, disse o sindicalista.

Givancir também destacou que a categoria de rodoviários de Manaus decidiu aderir o movimento grevista durante assembléia realizada nesta semana.  “Com essas reformas, o governo está tentando tirar os direitos dos trabalhadores. Não concordamos com isso. Essa situação de terceirizar o trabalhador, só é bom para o empresário, mas não para a classe”, comentou.

Sobre a greve geral, o presidente do sindicato ainda acredita que outros órgãos sindicais de Manaus irão aderir o movimento. “Não se trata apenas de nós. Acredito que o sindicato dos metalúrgicos, integrantes da justiça do trabalho, professores, bancários, entre outras categorias vão entrar nessa luta. Toda a classe trabalhadora contra o pacote da maldade do presidente Temer na sexta”, completou.

(DO PORTAL A CRÍTICA)

Roberto Brasil