Rodoviários cobram segurança e ameaçam paralisar na sexta (10)

By -

“Precisamos de uma resposta mais rápida por conta do perigo diário”, afirmou Givancir Oliveira (Foto: Antônio Lima)

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Manaus (STTRM), Givancir de Oliveira, disse, na tarde de terça-feira (7), durante coletiva de imprensa, que os trabalhadores que atuam no transporte público e convencional na capital estão se sentindo ameaçados com constantes roubos e assaltos no dia a dia de trabalho. Na ocasião, Oliveira cobrou mais reforço policial em linhas de ônibus e terminais de integração para garantir segurança à categoria.

Segundo Givancir, a força-tarefa prometida pelo secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Sérgio Fontes, para inibir assaltos ainda não foi colocada em prática. “Na realidade a polícia finge que trabalha nos ônibus. São 2 mil assaltos por ano e, até hoje, nenhum desses infratores foram localizados pela polícia, a não ser quando a população pega em flagrante”, disse Oliveira, reclamando que os policiais não conseguem desvendar casos mesmo com vídeos e fotografias.

O presidente do STTRM destacou que a falta de investigação faz com que os números de assaltos a ônibus entrem, somente, para as estatísticas da secretaria. “Essa semana morreu um motorista do alternativo e, se não tomarem providências, amanhã será um dos rodoviários, do especial, dos taxistas, dos mototaxistas. Enfim, é preciso agir para que essa prática seja coibida e nossos trabalhadores possam ir para o trabalho e retornar em segurança para seus lares”, enfatizou.

Givancir disse que, por precisarem de uma resposta mais rápida por conta do perigo diário, há a possibilidade da categoria parar as atividades nesta sexta-feira (10). “Onde há dinheiro vivo, renda das catracas, os ladrões ficam na espreita. A direção do sindicato vai parar 100% o transporte público na capital. Todos os ônibus vão ficar na garagem”, prometeu o presidente do Sindicato, destacando que este é o primeiro ponto da pauta de reivindicação. O segundo será propor um vale-troco para facilitar o trabalho dos cobradores.

“Estamos propondo para a prefeitura e Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) um vale-troco aos trabalhadores para que possam ser distribuídos, quando necessário. Alguns cobradores estão sendo marginalizados por alguns usuários que não compreendem a não existência de moedas nos caixas, o que é um direito deles, afinal a passagem é R$ 3,80”, falou.

Na tarde desta terça (7), às 16h30, o secretário da SSP-AM, Sérgio Fontes, irá se posicionar sobre as declarações do presidente do sindicato dos rodoviários e apresentará também as ações realizadas para coibir assalto a ônibus em Manaus. Na ocasião, Fontes irá apresentar as ações da força-tarefa da segurança pública já resultaram, significativamente, na diminuição do registro de roubos ao transporte coletivo na capital apenas neste mês de fevereiro, quando as ações foram intensificadas.

Do EM TEMPO

Roberto Brasil