REPRESÁLIA: Prefeito de Tabatinga decreta demissão de 600 funcionários

By -
Pref. Raimundo Caldas

Pref. Raimundo Caldas

O prefeito de Tabatinga (1.105 quilômetro de Manaus), Raimundo Carvalho Caldas, o Calango, como é conhecido, demitiu 600 servidores públicos do município, um dia após as eleições. O prefeito estaria se vingando dos eleitores por não ter conseguido, sequer, se candidatar à reeleição devido ao seu alto nível de rejeição popular. O artigo 73, da lei 9.504 de 1997, proíbe prefeitos de demitir ou admitir funcionários três meses antes e três meses após as eleições.

O vereador da Câmara Municipal de Tabatinga, Hilal Hajar Hayssam (PTN), denunciou as exonerações ao promotor da Comarca, Carlos Firmino Dantas, solicitando a intervenção do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), para que o prefeito esclareça o motivo das demissões.

As exonerações constam no Diário Oficial do Município com a assinatura do prefeito Raimundo Carvalho, na data de 03 de outubro, um dia após o resultado do pleito.

Calango, lançou a candidatura a prefeito do seu vice, Carlos Donizetti (PSDC), mas perderam as eleições para Saul Bemerguy (PSD), com uma diferença de 3.693 votos.

Com as demissões, a administração pública transformou-se num caos. Diversas escolas tiveram que interromper as atividades decorrente a falta de professores e demais funcionários.

Segundo a Rádio Nacional do Alto Solimões, somente na área da educação foram exonerados 303 funcionários do setor de serviços gerais, 297 professores e cuidadores pedagógicos e 30 professores efetivos, que lecionavam em mais de um turno.

(com DE AMAZÔNIA)

Roberto Brasil