Relatório técnico enviado à Brasília destaca situação da cheia em Manaus

By -
Segundo o relatório, Manaus poderá ter este ano sua quarta maior cheia

Segundo o relatório, Manaus poderá ter este ano sua quarta maior cheia

A Prefeitura de Manaus, por meio de sua Secretaria Executiva de Proteção e Defesa Civil, enviou a Brasília relatório técnico com os impactos da cheia na cidade. O documento foi enviado um dia após o prefeito Arthur Virgílio Neto assinar o decreto de situação de emergência para a capital por 180 dias. Pelo decreto, a prefeitura fica autorizada a desencadear o Plano Emergencial de Resposta aos Desastres, que envolve, entre outras ações, a possibilidade de arrecadação de recursos junto às comunidades e convocação de voluntários para o trabalho.

No documento enviado a Brasília, consta a previsão do Serviço Geológico do Brasil – CPRM de que Manaus poderá ter este ano, se atingir a cota de 29,62m, sua quarta maior cheia (menor apenas que as de 1953, 2009 e 2012). Em média, o rio Negro está subindo cinco centímetros por dia. Também são destacados no documento o trabalho preventivo da Prefeitura de Manaus com relação à cheia e a necessidade de intervenção do poder público em algumas áreas.

CHEIA-RELATORIO-DEFESA-CIVIL-MANAUS-02Mais de mil famílias de 24 comunidades na zona rural de Manaus já foram afetadas pela cheia dos rios. No Negro, entre as comunidades atingidas estão: Esperança do Rio Apuaú, Canaã do Aruaú, Nova Jerusalém, Canaã do Cuieiras, São Sebastião do Cuieiras, Pagodão, Vila Nova do Chita, Vista Bela do Jaraqui, Araras, Baixote e Lindo Amanhecer.

No Rio Amazonas, as águas afetam famílias da comunidade Nossa Senhora da Conceição do Jatuarana, União e Progresso, São Francisco do Tabocal, São Raimundo, Assentamento Nazaré, São Pedro, Bom Sucesso, Santa Rosa, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Canaã, Nossa Senhora do Carmo e Nova Cesaréa, onde três escolas tiveram as aulas transferidas para centros comunitários, e  dois postos de saúde ganharão pisos suspensos para evitar que os atendimentos sejam paralisados.

CHEIA-RELATORIO-DEFESA-CIVIL-MANAUS-03Na zona urbana, famílias que moram na orla da cidade já estão com a água próxima as suas casas. A previsão é de que 16 bairros sejam afetados, alcançando cerca de três mil famílias.

O plano de contingência da Prefeitura de Manaus, contido no relatório, descreve as ações de levantamento e monitoramento que começaram em janeiro, destacando-se a construção de 32 pontes de madeira para minimizar o impacto da cheia em áreas que ficam alagadas e facilitar o acesso dos moradores e dos agentes da prefeitura.

CHEIA-RELATORIO-DEFESA-CIVIL-MANAUS-04“O decreto assinado pelo prefeito deixa de lado o entrave burocrático para ações que devem ser executadas pelas secretarias envolvidas com a cheia. A Defesa Civil fez o mapeamento das localidades que devem ser atingidas e vai facilitar as ações nas demais secretarias”, explicou o secretário da Casa Militar, Coronel Fernando.

Roberto Brasil