Relatório denuncia irresponsabilidades e improbidade administrativa praticadas pelo ex-prefeito e secretários de Fonte Boa

By -

Um relatório da equipe de transição do prefeito eleito de Fonte Boa, Gilberto Ferreira Lisboa (PMDB), publicado no Diário Oficial do Município, apresentou uma série de irresponsabilidades e improbidades administrativas praticadas pelo ex-prefeito José Suediney de Souza Araújo (Foto) e por seus secretários. A equipe de transição deveria ter recebido informações de como recebeu a gestão das mãos do ex-prefeito, mas vários dados foram omitidos. Mesmo assim foi constatado uma situação preocupante.

 

O relatório afirma que a administração anterior, não somente o ex-prefeito mas seus secretários, foram omissos e irresponsáveis quanto às obrigatoriedades de informações, e que os ex-secretários de Administração, Vicente de Paulo Marinho, e de Finanças, Lassie Carvalho da Silva, nunca se dispuseram a reunir-se para oferecer informações sobre a situação da prefeitura.

 

Outro transtorno foi causado pelo servidor Ronivaldo Augusto de Souza, responsável por alimentar os programas federais da Secretaria Municipal de Saúde. Ele se negou a fornecer as senhas dos programas e ainda deletou alguns deles.

 

O relatório também denuncia outros dois servidores, Raineiry Ferreira Gomes, servidor comissionado, e Raimundo Maciel Bonet, servidor efetivo, por subtraírem documentos da prefeitura.

O ex-prefeito José Suediney e nem os membros de sua comissão de transição, também não forneceram os números de contas bancárias da prefeitura, para visualização dos saldos, e nem documentos necessários para a organização das despesas de 2016 programadas para serem pagas em 2017.

 

Sobre a relação de bens patrimoniais da prefeitura, várias informações também foram omitidas. No caso da Secretaria Municipal de Obras, por exemplo, o secretário da pasta, Sidney Gomes Siqueira, não forneceu o inventário da real situação da secretaria que estava em total situação de abandono, sem nenhum veículo em perfeito estado de uso e sem estoque de material.

A quantidade dos processos judiciais envolvendo a Administração Pública (direta e indireta), os repasses do governo local nas áreas de educação, assistência social, saúde, entre outros, também foram omitidos.

 

Entre as irregularidades também apontadas no relatório estão em contratos de funcionários, como é o caso do genro do ex-prefeito, Lázaro de Araújo de Almeida, médico lotado na Secretaria de Saúde Médica e Alta Complexidade, cuja remuneração saltou de R$ 5.520,00 para R$ 41.700,00. O salário da filha de José Suediney, Suelem Carvalho de Araújo-medica, também como médica na Secretaria de Saúde Média e Alta Complexidade subiu de R$ 5.520,00 para R$ 12.045,00, mesmo sem exercer a função.

 

A equipe de transição do prefeito eleito Gilberto Ferreira Lisboa ainda se deparou com as atividades do Fundo de Previdência e de outras secretarias paralisadas por falta de pagamento dos servidores. O município teve as contas bloqueadas por determinação judicial por falta de cumprimento com a sua responsabilidade e o bloqueio se perdurou por mais de dois meses, e mesmo diante dos fatos o ex-prefeito encerrou sua administração deixando de pagar servidores desde julho de 2016. O prefeito eleito encontrou a administração inadimplente no Cauc, SIAF, convênios em tomadas de contas especial e obras inacabadas.

Mario Dantas