Reitor da UEA destaca que Torre Atto coloca pesquisadores locais na vanguarda

By -
Daqui sairão resultados de vários grupos de pesquisa que ditarão os estudos sobre mudanças climáticas mundiais das próximas décadas, afirmou Cleinaldo Costa

Daqui sairão resultados de vários grupos de pesquisa que ditarão os estudos sobre mudanças climáticas mundiais das próximas décadas, afirmou Cleinaldo Costa

O reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Cleinaldo Costa, participou, no último sábado (22), da inauguração da Torre ATTO (sigla em inglês para Torre Alta de Observação da Amazônia), localizada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã, no município de São Sebastião do Uatumã (a 247 quilômetros de Manaus). A ATTO tem 325 metros de altura e é a maior torre de monitoramento do mundo. A estrutura atuará no monitoramento ambiental de mudanças climáticas na região amazônica, sendo um importante instrumento para a ciência atmosférica. Os primeiros resultados poderão ser obtidos a partir de seis meses.

“Estamos pisando na história. A UEA, uma universidade jovem de apenas 15 anos, e o Governo do Estado do Amazonas têm a honra de participar desse momento importantíssimo para a ciência brasileira e mundial. Daqui sairão resultados de vários grupos de pesquisa que ditarão os estudos sobre mudanças climáticas mundiais das próximas décadas. Possuir alunos e professores da UEA nesse projeto é uma oportunidade ímpar”, disse o reitor Cleinaldo Costa.

A cerimônia contou com a presença do ministro de Ciência e Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, do ministro Conselheiro da Embaixada da Alemanha no Brasil, Claudius Fischbach, do coordenador do projeto ATTO pela UEA, Rodrigo Souza, do diretor do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Luiz Renato de França, do secretário de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tenologia e Inovação (Seplancti), Thomaz Nogueira, além de outras autoridades.

torre-atto-uea-2“Os trabalhos desenvolvidos aqui serão para preservar a vida no planeta e dar alternativas para o desenvolvimento sustentável da humanidade. Somos muito gratos aos nossos amigos pesquisadores da Alemanha, do Inpa e a todos os profissionais que ajudarão a construir essa torre na maior floresta tropical continua do mundo”, disse o ministro do MCTI, Aldo Rebelo.

A UEA é parceira no projeto juntamente com o Inpa e o Instituto Max Planck. Pesquisadores da UEA e do Inpa, particularmente do Mestrado e Doutorado em Clima e Ambiente (Cliamb), serão os principais beneficiados pelo novo instrumento de monitoramento que é maior que a torre Eiffel de Paris, que tem 315 metros.

“A torre é resultado da parceria com diversas instituições de pesquisa, ente elas a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas e a UEA. Essas parcerias mostram que a ciência não tem barreiras. O que é bonito na ciência, é essa possibilidade de você juntar expertises de instituições diferentes em prol de um objetivo comum. O objetivo foi a torre, e ela está aí. Outros virão, talvez maiores e melhores projetos”, disse o diretor do Inpa.

torre-atto-uea-3Presa por cabos instalados em área a 156 km de Manaus, a Torre ATTO contará com instrumentos para medir a concentração de gás carbônico, metano, óxido nitroso, ozônio e outros gases. O projeto está estimado em R$ 20 milhões.

“Na torre serão obtidos dados sobre diversas variáveis meteorológicas, entre elas, temperatura, umidade, vento, chuva, tudo isso de uma forma inédita no mundo inteiro. Além disso, vamos coletar informações sobre gases e também realizar sondagem de dados da atmosfera de até 12 quilômetros. Os primeiros resultados poderão ser obtidos a partir de seis meses”, disse o coordenador do projeto ATTO pela UEA, Rodrigo Souza.

Roberto Brasil