Reconhecimento nacional de um amazonense

By -

Hoje, 5 de junho, Dia do Meio Ambiente, o jornalista Orlando Farias completaria 60 anos se ainda estivesse vivo. Ele dedicou décadas de sua vida à comunicação ganhando respeito de toda a imprensa amazonense e projeção nacional.

“Ele era uma pessoa bem antenada das questões do município de Manaus, do estado, do Brasil e até internacionais. Um jornalista tem que ser essa pessoa completa que era o Orlando. Não à toa, ele foi várias vezes premiado em nível naciona. Daí que vem o respeito que todos dessa terra que o conheciam tinham por ele”, afirmou o ex-vereador Mario Frota.

Orlando conquistou vários prêmios nacionais abordando assuntos de grande relevância como as causas indígenas e a proteção da Floresta Amazônica, os mais importantes deles foram o prêmio Esso em 1999 e 2001 e o prêmio Imprensa Embratel em 2006

“Para mostrar que existia uma força contra aqueles que queriam nivelar o ensino por baixo por isso que nós tivemos durante esse período uma formação de grandes quadros, não só na área da imprensa como de outros setores também e o Orlando foi um desses quadros porque ele levou isso ao pé da letra por isso que ele teve esse sucesso todo e foi premiado”, destacou João Tomé

Filho de uma infância pobre, Orlando venceu os obstáculos, rompeu barreiras através de uma garra que é peculiar aos amazônidas e não se deixou abalar pelas adversidades. Foi um verdadeiro exemplo de perseverança e superação.

“Esses prêmios só engrandecem, nós que temos configurado grandes nomes do nosso jornalismo amazonense, ter o Orlando neste cenário é a convicção de que nós temos a presença de um ‘caboco’ índio surgido da classe trabalhadora, um garoto que trabalhou em feira, um garoto que sempre ajudou a família, que veio estudar em Manaus em um tempo que havia apenas uma universidade no Amazonas, para chegar lá você disputava com um número imenso de outras pessoas que queriam essa oportunidade”, falou Guto Rodrigues, ex-presidente estadual do PPS.

Colecionador de prêmios, considerado um dos ícones do jornalismo na região norte do país e ostentando um currículo invejável, Orlando fez de sua profissão um sacerdócio e da democracia sua razão de viver.///Luciano Farias

Roberto Brasil