Queiroz do PSOL expõe programa de governo para Manaus

By -
Marcos Queiroz

Marcos Queiroz

Da Redação – O candidato a prefeito da coligação PSOL/PCB à prefeitura de Manaus Marcos Queiroz esteve na redação doBLOG DA FLORESTA para expor seu programa de governo. São destaques dois projetos que o candidato difere de outros programas já apresentados: criação de um transporte público municipal, no médio prazo, e o transporte de massa com vários modais, em longo prazo. Acompanhado da vice Taly Nayandra (PCB) reforçou que a candidatura do PSOL apresenta projetos concretos e viáveis que serão aplicados com a seriedade que a população merece. Sugerindo com isso a criação do slogan da sua campanha que “Manaus é muito mais que um cartão”. O candidato é professor da rede pública, licenciado pela UFAM; especialista em história regional. Ajudou a construir o PSOL nacionalmente e no Amazonas é seu fundador.

BLOG DA FLORESTA: Por que o senhor quer ser prefeito de Manaus?

MARCOS QUEIROZ: Diante do atual quadro em que se encontra Manaus e pelo momento impar que vivemos nossa candidatura tem duas premissas que nos levaram à participar desse pleito. Primeiro:  inverter a probabilidade do orçamento municipal que pede a participação de todos seguimentos sociais que deferência da política de hoje. Segunda: será uma gestão popular e com projetos de propostas possíveis para a realidade de Manaus.

candidato-marcos-queiroz-blogdafloresta3BDF: Qual a proposta para a saúde pública do município?

MQ: A nossa gestão terá uma trilogia que abrange saúde, educação e tecnologia. A prioridade será saúde básica, onde iremos repensar todos os projetos UBS aí implantados, com o sentido de melhorar a parte física, atendimento e profissionais capacitados. Implementar o programa Médico da Família que está parado. Para tanto a saúde pede educação com a qualidade educacional e orientações médicas. A questão da tecnologia é necessária para possibilitar a inteiração dos pacientes com todo o atendimento da saúde pública. Também criaremos uma rádio web para melhor informar a população sobre o setor, além disso a intenção é criar um setor de ouvidores da saúde. Esses são cinco eixos possíveis que temos para melhorar à saúde pública do município.

BDF: Sendo um professor e candidato, que projetos o senhor tem para a Educação do Município?

MQ: Temos dois desafios a serem colocados como prioridade administrativa em nossa gestão: Primeiro, devolver a autonomia aos profissionais da área de educação. A segunda será o currículo escolar. Sobre a primeira, o que vemos é que os profissionais hoje estão esquecidos e daí precisarmos abrir diálogo com a categoria para encontrar as soluções viáveis e necessárias ao setor, entre eles o PCCS, onde existe um erro brutal. Quanto a segunda, temos que ver disciplinas como história do nosso estado que foram tiradas do currículo. Faremos um estudo disciplinar conjuntamente com a comunidade escolar e melhorar esse currículo com disciplinas de interesse regional. Fora esses dois desafios que tornarão a escola ativa e viva vamos trazer a segurança pública para dentro da escola. Como? Com atividades culturais populares e a com a presença da guarda metropolitana de forma ostensiva.

candidato-marcos-queiroz-blogdafloresta7BDF: E para as creches existe algum projeto?

MQ: O déficit hoje na cidade é mais de 85% em termos de creche. As que estão aí são sofríveis. O que pretendemos? Vamos refazer todas elas, melhorando seu estado físico com atendimentos e profissionais capacitados; construir mais creches com verbas voluntárias federais e o principal criar o programa “Mãe que acolhe”, que é a utilização de espaços concretos nas comunidades.

BDF: E para o transporte público quais as metas a serem atingidas?

MQ: O transporte público não dá prejuízo. Para esse setor temos três etapas. A curto prazo nosso desafio será superar o tempo de espera do passageiro nos terminais e paradas de ônibus. Um é a criação de sistema de comboio de ônibus da mesma linha nos horários de pico. É uma ideia possível, basta ajustar o contrato. Outro programa é o corredor exclusivo, melhorando o que está aí ampliando as plataformas. Isso sim seria o corredor para o transporte coletivo que não é o transporte de massa que temos projeto a longo prazo. Ainda em nosso projeto de curto prazo vamos moralizar a venda do vale-transporte, descentralizando a venda e colocando em pontos alternativos, como bancas de revistas; vamos também promover a renovação da frota e por último temos nesse projeto a planilha de preço de passagem. Vamos discuti-la abertamente com os setores interessados. A médio prazo nos temos um projeto de criar o transporte público municipal. A longo prazo é criar um transporte de massa que não é transporte coletivo. Essa ideia abrange a construção de vários modais entre eles a interação do transporte terrestre com o fluvial. Então nosso programa para o setor prevê conforto e segurança nos terminais. Para tanto temos que construir mais três terminais nas duas maiores zonas populacionais de Manaus. Os transportes alternativos e executivos sofrerão uma rigorosa fiscalização no sentido de melhorar o sistema. O que queremos com isso é dizer que a mobilidade urbana terá em nosso programa a prioridade pelos usuários, pedestres, ciclistas e o próprio transporte coletivo. Com esse projeto de mobilidade urbana e melhorias no sistema de transporte coletivo nossa intenção é evitar mais carros particulares nas ruas da cidade, pois o que se vê hoje é o que chamo hoje de “cultura da carrocracia”.

candidato-marcos-queiroz-blogdafloresta6BDF: Embora a segurança pública seja de competência do estado, o que senhor tem de proposta para o município participar da segurança do cidadão?

MQ: Iluminação das ruas, transporte 24 horas com paradas no trajeto onde a pessoas estiver; motivar a educação e a cultura, pois entendemos que são vertentes que emancipam o ser humano. E por último temos um projeto que é a ampliação da segurança para mulheres, ou seja, a criação de casa de acolhimento da mulher como todos os atendimentos sociais públicos, diferentemente das delegacias. (Jersey Nazareno – Fotos: Áida Fernandes)

Roberto Brasil