Putin alerta para risco de conflito em larga escala com Coreia do Norte

By -

O presidente russo, Vladimir Putin (Foto: Mikhail Klimentyev/AP)

O presidente russo, Vladimir Putin, advertiu nesta sexta-feira que o tenso impasse entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos está à beira de um conflito de larga escala, chamando de erro as tentativas de pressionar Pyongyang com sanções sobre seu programa nuclear. Segundo o chefe do Kremlin, que comparecerá a uma cúpula do Brics na China na semana que vem, a solução deve vir pelas negociações com o regime asiático. Atualmente, Japão e Estados Unidos vêm tentando impor mais sanções aos norte-coreanos no Conselho de Segurança da ONU.

“É essencial resolver os problemas da região por meio do diálogo direto envolvendo todos os envolvidos, sem qualquer pré-requisito. Provocações, pressão, retórica bélica e ofensiva são caminho para lugar nenhum”, dizia uma nota assinada por Putin no site do Kremlin, argumentando que a situação na península coreana já se deteriorou tanto que, agora, está “equilibrada à beira de um conflito de larga escala”.

Pyongyang tem trabalhado no desenvolvimento de um míssil nuclear capaz de atingir os Estados Unidos e recentemente ameaçou lançar mísseis perto do território de Guam, ilha no Oceano Pacífico que faz parte do território americano. Na segunda-feira, a Coreia do Norte, que vê os exercícios militares conjuntos entre os Estados Unidos e a Coreia do Sul como preparativos para uma invasão, elevou as tensões ainda mais ao disparar um míssil de alcance intermediário, que sobrevoou o Japão.

“Na opinião da Rússia, o cálculo de que é possível deter os programas de mísseis nucleares da Coreia do Norte exclusivamente pressionando Pyongyang é errôneo e inútil”, escreveu Putin.

‘NEGOCIAÇÃO DEVERIA PARTIR DOS EUA’

Um roteiro formulado por Moscou e Pequim propõe que a Coreia do Norte suspenda seu programa de mísseis em troca da interrupção das manobras militares de Washington e Seul. Segundo o presidente russo, esta poderia se ruma maneira de reduzir as tensões.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, por sua vez, disse que sentiu que a escalada de tensões na crise com a Coreia do Norte estava se construindo em direção a uma guerra. Segundo o chanceler, eventuais ataques provocariam um grande número de baixas em Japão e Coreia do Sul.

— Se queremos evitar uma guerra, o primeiro passo deve ser tomado por um lado mais inteligente e mais forte — disse Lavrov, em referência explícita aos Estados Unidos.

Reuters

Roberto Brasil