Pronto-socorro Platão Araújo completa 10 anos de funcionamento

By -

fachada_platao

PlatãoO Hospital e Pronto-socorro Platão Araújo completou nesta semana dez anos de funcionamento. A unidade é vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e faz parte da rede estadual de urgência e emergência, sendo referencia para a população da zona leste de Manaus.

O diretor da unidade, José Diniz, destaca que o pronto-socorro realiza mais de 30 mil atendimentos por mês, englobado consultas médicas, curativos em feridas crônicas, consultas de enfermagem e de assistência social, entre outras. Na unidade também são realizados uma média de 10 mil exames de imagem, como raios X, ecocardiograma e tomografia, e mais de 25 mil exames laboratoriais, todos os meses.

As estatísticas de atendimento da unidade mostram ainda que todos os meses são realizadas uma média de 300 cirurgias, contabilizando as cirurgias gerais e ortopédicas. “Diante desses números nós entendemos que temos bastante coisa pra comemorar. São dez anos de trabalho, muitas vidas foram salvas e isso já recompensa todo o esforço e dedicação aplicados por toda a equipe nessa primeira década de funcionamento do pronto-socorro”, ressalta José Diniz.

Cirurgias ortopédicas – Em 2013 o Pronto-socorro Platão Araújo passou a ser a unidade de referência para a realização do atendimento ortopédico de urgência e emergência, realizando as consultas e os procedimentos cirúrgicos. “Nós temos uma equipe especializada e realizamos 20 cirurgias por semana, sendo 10 em adultos e 10 em crianças”, informa José Diniz. O acompanhamento pós cirúrgico desses pacientes também é feito pela unidade.

Atenção psicossocial – Com relação ao planejamento para oferta de novos serviços no pronto-socorro, o diretor destaca a implantação do serviço especializado em saúde mental, com a criação dos leitos destinados aos portadores de transtorno mental. Para a implantação desse novo serviço, o Fundo de Promoção Social (FPS) destinou R$ 728,5 mil. “Será mais um serviço ofertado à população de Manaus, seguindo a orientação do Ministério da Saúde, de ofertar atendimento integral aos pacientes portadores de transtorno mental”.

Áida Fernandes