Promotor do caso de Luiza Brunet diz não ter dúvidas de que houve crime

By -
Durante agressão do companheiro, Luiza Brunet levou socos no rosto e teve quatro costelas quebradas

Durante agressão do companheiro, Luiza Brunet levou socos no rosto e teve quatro costelas quebradas

O promotor de Justiça de São Paulo, Carlos Bruno Gaya da Costa, afirmou que as imagens e os atestados apresentados pela atriz e ex-modelo Luiza Brunet, 54, confirmam que ela foi agredida pelo ex-companheiro Lírio Albino Parisotto, 62, com quem estava junto havia cinco anos.

“O laudo do IML [Instituto Médico Legal] foi realizado se valendo dos exames de imagens que ela apresentou bem como os atestados médicos pelos quais ela havia passado quando buscou tratamento”, disse Costa em entrevista ao programa Fantástico, da TV Globo.

Questionado se havia visto o material e se isso provava que Luiza havia sido agredida pelo ex-companheiro, o promotor disse que sim. Luiza apresentou queixa ao Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (GEVID), da Promotoria de São Paulo.

Os advogados do empresário disseram ao programa, em nota, que Lírio Albino Parisotto está em viagem internacional e que ainda não foi intimado pela Justiça ou pelo Ministério Público. A defesa disse ainda que o empresário tem todo o interesse no esclarecimento dos fatos e confia na atuação do Poder Judiciário. E que vai se manifestar das acusações assim que for concedido à defesa acesso aos autos.

Parisotto está impedido de se aproximar de Luiza e de manter contato com ela por qualquer meio, segundo a assessoria do Ministério Público de São Paulo.

(…) Luiza Brunet, que é embaixadora de uma campanha contra a violência contra mulher, diz que o caso teria acontecido no dia 21 de maio, em um apartamento em que estavam em Nova York (EUA), quando Parisotto teria dado um soco no olho dela, além de chutes. Depois, ele a teria derrubado do sofá e a imobilizado até quebrar quatro costelas dela.

Segundo o relato da própria atriz feito ao jornal “O Globo”, para conseguir escapar, ela ameaçou gritar pelo concierge. Luiza, então, se trancou no quarto até garantir que o companheiro não estava mais no local. Ficou lá até o dia seguinte, foi direto para o aeroporto e voltou ao Brasil.

(Com Folhapress)

Roberto Brasil