Projeto ‘Perdidos e Achados’ tem postos de coleta nos DIPs da capital

By -

O projeto “Documentos Perdidos e Achados” está em fase de expansão. Agora, cada Distrito Integrado de Polícia (DIP) da capital também funciona como um posto de coleta e registro dos documentos extraviados. A descentralização acontece por meio de uma parceria firmada entre a Ouvidoria Geral do Estado e a Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

Há quase dois meses a Ouvidoria Geral do Estado firmou parceria com a Delegacia Geral da Polícia Civil, por meio da SSP-AM, com a proposta de aumentar o quantitativo de postos de coleta do projeto, promovendo maior acessibilidade ao cidadão que deseja entregar ou efetuar a busca de um documento extraviado. Cerca de 75% do total de 30 DIPs já receberam a visita e os treinamentos realizados pelo Departamento de Pesquisa (Depes) da ouvidoria estadual.

A ouvidora geral do Estado, Zanele Teixeira, explica que cada distrito policial terá um posto de coleta de documentos com acesso ao sistema para registro das cédulas.

“O projeto está em um momento de expansão, onde firmamos parceria com a SSP e também com a Secretaria de Estado do Trabalho (Setrab). Os policiais dos DIPs Centro-Sul, Leste e Norte receberam treinamento e aguardam a conclusão do cadastro por parte da Prodam para terem acesso ao sistema. As delegacias atendem em pontos estratégicos de cada bairro, o que permite melhor acessibilidade da população”, disse a ouvidora.

Entre o mês de maio e a primeira quinzena de junho deste ano, o Depes coletou 175 documentos perdidos. Porém, neste mesmo período somente seis documentos foram resgatados. A consulta referente a um documento perdido pode ser feita pelo endereço eletrônico www.ouvidoria.am.gov.br.

Visitas a órgãos estaduais – De maio a junho de 2017, a secretaria visitou cinco órgãos públicos, dos quais, três hospitais e duas visitas à Escola de Tempo Integral Lecita Fonseca Ramos, a primeira antes da inauguração do prédio e outra após o funcionamento, quando os alunos participaram da pesquisa.

Os hospitais visitados foram Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ) e Hospital Universitário Dona Francisca Mendes.

Roberto Brasil