Projeto Jaraqui lamenta postura dos candidatos nas Eleições 2014

By -
Segundo os organizadores do projteo, houve falta de debate de propostas pelos candidatos

Segundo os organizadores do projeto, houve falta de debate de propostas pelos candidatos

Da Redação – A análise feita neste sábado (18), na República Livre do Pina (Praça da Polícia), Centro de Manaus, sobre a participação dos candidatos à presidência do Brasil, pelos coordenadores do Projeto Jaraqui foi em tom de crítica à postura dos mesmos e à falta de debate das propostas para que a população possa de uma vez decidir seu voto neste segundo turno.
Na análise, a candidata Dilma tem tido uma visão ideológica estreita e lulista, os ataques ao candidato Aécio tem se focado como se os programas sociais (Bolsa Família e outros) tivessem apenas um autor, quando na verdade o Brasil tem sua própria história onde muitos homens de bem tiveram participação. “Este enfoque tem uma visão local, paroquial, há que se pensar quais são os argumentos em nível nacional para saber como o norte do país vai se desenvolver no futuro”, salientou um dos coordenadores do Projeto.

De acordo com o Prof. Ademir Ramos, o problema não é mais a Zona Franca de Manaus, tendo em conta que já foi aprovado seu funcionamento por mais 50 anos, embora a crise econômica que já começou deverá afetar o seu desenvolvimento, mas tudo dependerá se houver ou não um crescimento econômico. Neste sentido é bom esclarecer também que nos últimos 40 anos, a ZF mantêm o mesmo número de trabalhadores (120 mil), porem houve um acréscimo no dinheiro arrecadado (80 bilhões de reais) no Distrito Industrial, é o resultado de um centralismo econômico. O desafio ainda persiste e deverá ser resolvido pelo próximo governo do Amazonas, caso queira-se melhorar ou ampliar a distribuição da riqueza e diminuir as desigualdades.

Um dos fatos é que a candidata Dilma não reconhece a inflação de 7% no Brasil, nem indica o que vai fazer para superar este problema. O eleitor deverá então se perguntar como vai manter os programas sociais se não há crescimento econômico no país, assim como não há também, desenvolvimento. No entendimento dos intelectuais do Projeto Jaraqui com o candidato Aécio poder-se-á retomar a credibilidade perdida no Amazonas e a confiança de investidores que agora não existe.

Participação do Governo Estadual no crescimento econômico

É neste sentido que radica a importância da participação do Governo Estadual, no caso do Amazonas, percebe-se que o candidato Eduardo Braga não está interessado, pois o seu modelo é privatista ao invés de repensar e fortalecer o modelo da Zona Franca para distribuir a riqueza gerada, explicou o Prof. Ademir. “A criação de novas estruturas econômicas a partir das demandas da população é fundamental, para isto é também necessário pensar nas questões ambientais, minerais, gás, petroquímica e turismo para um desenvolvimento do estado do Amazonas”.

“Neste cenário o papel da Universidade Estadual do Amazonas (UEA) é fundamental, uma universidade autônoma, determinada e com recursos humanos capacitados. Um laboratório de formação dos novos quadros técnicos para o planejamento do futuro da nossa sociedade e não como agora se vê, uma Secretaria Estadual de Educação (Seduc) de um lado e a UEA do outro”, afirmou o Prof. Ramos. (Mercedes Guzmán)

Roberto Brasil