Projeto Jaraqui critica a falta de projetos dos candidatos

By -

projeto-jaraqui-27set14-blogdafloresta1Da Redação – Neste sábado (27), na Praça do Jaraqui, na Republica Livre do Pina, Centro, os militantes do Jaraqui colocaram a disposição o microfone para falar sobre as eleições 2014. Foi uma lição de democracia para analisar os políticos, muitos criticaram duramente os ‘ficha suja’, os atos de corrupção ao longo da história brasileira e a falta de propostas e projetos dos candidatos, assim como a pouca participação, a apatia da população e a necessidade não sanada de exercer um voto de qualidade.

Segundo um dos Coordenadores do Projeto Jaraqui, Nelson Gomes de Melo Junior, desta vez está sendo abordada a eleição de 2014 mobilizando a sociedade para exercer um voto responsável e eleger o Presidente da República do Brasil e os representantes no poder legislativo. “O projeto tem uma postura definida e durante a apresentação na tribuna livre ficou explícito que alguns candidatos ‘ficha suja’ não terão nosso voto” disse ele.

O mesmo criticou o escândalo do rombo de R$ 20 bilhões na Petrobras por membros dos PT, PMDB e PP, que já foram identificados, nomes de deputados, um ministro do PMDB e três governadores, dentre estes encontra-se o presidente do Congresso, Renan Calheiros e o Presidente da Câmara de Deputados, Enrique Eduardo Alves.

"Os candidatos não tem projetos, não tem propostas sérias, nem debatem a política, desta forma a escolha fica difícil", afirmou o Prof. Amecyr  Souza

“Os candidatos não tem projetos, não tem propostas sérias, nem debatem a política, desta forma a escolha fica difícil”, afirmou o Prof. Amecyr Souza

Voto sem qualidade resulta numa má representação

Num cenário de descrédito da política e dos políticos, os atuais governos não estão interessados na discussão, assim como também na participação da população nos debates das propostas dos candidatos, desta forma o voto chega a se desqualificar e acaba criando a imagem ruim dos representantes que se têm nas casas legislativas, explicou Nelson Gomes.

Uma das tarefas do projeto Jaraqui é elevar o nível da formação política, porque há uma preocupação com o papel dos movimentos sociais neste sentido “estamos conscientes que o povo é o vetor de transformação” disse ele.

Quer seja uma, quer seja outra, a escolha é de risco

Para o Prof. Amecyr Bentes de Souza, uma das características do projeto Jaraqui é a tribuna livre, que tem como conotação e fundamentação a política. Sem filiação partidária o projeto permite o uso do microfone na tribuna a qualquer militante e mais do nunca o debate deve se focar nas eleições limpas para revigorar a própria democracia brasileira.

projeto-jaraqui-27set14-blogdafloresta2“Num momento histórico o que se está colocado como escolha do voto é um problema, os candidatos não tem projetos, não tem propostas sérias, nem debatem a política, desta forma a escolha fica difícil e qualquer que seja se torna uma escolha de risco”, completou o coordenador.

Como já é conhecido, o projeto Jaraqui é suprapartidário, ele catalisa leituras e análises de ângulos diferenciados a respeito da conjuntura local e nacional. Para dar conseqüência aos seus objetivos, a Tribuna do Jaraqui conta com o apoio do Núcleo de Cultura Política da Universidade Federal do Amazonas, representação da Associação dos Docentes da UFAM. (Texto e Fotos: Mercedes Guzmán)

Roberto Brasil