Projeto ‘Educar para prevenir’ será lançado em Itacoatiara nesta quinta-feira

By -
O Gepad é composto por 172 pessoas que participaram de cursos de formações

O Gepad é composto por 172 pessoas que participaram de cursos de formações

A Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) irá lançar nesta quinta-feira (7) o projeto “Educar para Prevenir” no município de Itacoatiara a cerca de 277 quilômetros de Manaus. A ação preventiva visa alcançar cerca de 20 mil alunos das redes municipal e Estadual e famílias.

O projeto será lançado na sede do 2º Batalhão da Polícia Militar, às 10h. De acordo com o secretário-executivo de Operações da SSP-AM, Pedro Florêncio, as ações serão desenvolvidas por meio de três projetos sociais do Sistema de Segurança: Programa de Redução à Violência e ao Uso de Narcóticos e Entorpecentes (Previne) da Secretaria de Segurança Pública; o Programa de Resistência às Drogas (Proerd) da Polícia Militar e o Programa de Prevenção às Drogas (PRÓ-Vida) da Polícia Civil.

Ele destaca que durante o projeto “Educar para Prevenir” serão realizadas palestras nas escolas  sobre as questões relacionadas a prevenção às drogas, a importância do acompanhamento da família, sexualidade, exploração sexual de crianças e adolescentes, bullying nas escolas, e entre outros assuntos. “O projeto foi sugerido pela própria comunidade durante reuniões com os órgãos de segurança. O grande diferencial é a união dos projetos sociais que já existem no Sistema de Segurança Pública”, disse Florêncio.

Pedro Florêncio também ressalta que a ação faz parte da ampliação das ações dos projetos sociais desenvolvidos pelos órgãos do Sistema de Segurança. “O interior também precisa ser alcançado com essas ações preventivas. No mês passado, realizamos uma grande ação no Cacau Pirêra em Iranduba”, disse.

Para dar encaminhamento as atividades e palestras do projeto, o secretário-executivo destaca que foi criado o Grupo Especial de Prevenção às Drogas (Gepad), composto por 172 pessoas que participaram de cursos de formações, entre eles professores, assistentes sociais, psicólogos, pedagogos, enfermeiros, policiais, agentes de trânsito, representantes das mulheres e idosos.

Segundo a gestora do Previne, Edméia Holanda, abordar temas de prevenção às drogas e a violência em geral com crianças e adolescentes irá contribuir para dar maior conscientização para este público, principalmente, na faixa etária dos 12 as 17 anos. “Nessa fase, os adolescentes começam a se deparar com outras realidades e precisam ser alertados sobre os males que as drogas, por exemplo, podem causar em suas vidas”, destacou.

Roberto Brasil