Projeto com índios da etnia Ticuna é tema de dissertação de mestrado no Rio de Janeiro

By -
Apresentação do projeto Aldeia da Música, durante o Fórum Mundial de Educação_CRÉDITO COMUNICAÇÃO-IFAM

Apresentação do projeto Aldeia da Música, durante o Fórum Mundial de Educação. / Foto J.Machado

Educação e música. Duas poderosas ferramentas que proporcionam a interação do indivíduo com o meio, o desenvolvimento intelectual, além de outros fatores. E baseado nessa proposta, a professora de Artes, do Instituto Federal de Educação do Amazonas (IFAM) Campus Tabatinga, Jeane Colares da Silva, defendeu na última semana, sua tese de mestrado na Universidade Federal Rural do Rio Janeiro (UFRRJ).

A pesquisa intitulada “A prática da educação pela música do povo Magüta” surgiu em Tabatinga (município distante 1.105km da capital) com alunos da etnia Ticuna que cursavam o Proeja Indígena de Técnico em Agropecuária. A música foi inserida como instrumento na relação de ensino-aprendizagem entre culturas, utilizando ainda ferramentas como a tradução e a transliteração de músicas infantis. Segundo Jeane Colares, estabelecer a inserção da educação por meio da música ainda é muito difícil nas escolas.

Professora Jeane Colares e o reitor do IFAM, professor Antonio Venâncio Castelo Branco_CRÉDITO_COMUNICAÇÃO-IFAM

Professora Jeane Colares e o reitor do IFAM, professor Antonio Venâncio Castelo Branco.

“O desafio é traçar uma metodologia que faça o aluno compreender a música como um processo técnico. Ao mergulhar na cultura Ticuna, percebemos como a música ocupa uma posição extremamente marcante e forte dentro de suas tradições. O ritual da Moça Nova, que marca o início da vida adulta para as meninas, por exemplo, tem a duração de 15 dias e é inteiramente cantado e musicado”, destaca a professora de violino.

Aprovação

A defesa ocorreu no último dia 23 de março, no Rio de Janeiro e foi aprovada sem ressalvas pelos professores doutores Miriam de Oliveira Santos, Patrícia Reinheimer e Edmundo Marcelo Mendes Pereira.

Segundo o reitor do IFAM, professor Antonio Venâncio Castelo Branco, o instituto continuará investindo na capacitação dos servidores. “Vamos continuar promovendo o intercâmbio com outras instituições e parcerias para que nossos servidores possam ampliar seus conhecimentos e que ao retornar ao campus, transformem-se em agentes multiplicadores do que absorveram durante o curso”, salientou.

No Termo de Cooperação assinado entre IFAM e UFRRJ foram contemplados 35 servidores distribuídos entre os campi de Tabatinga, Coari e Maués.

Professora Jeane Colares e alunos de Tabatinga_CRÉDITO J.Machado Registro 1316RJ

Professora Jeane Colares e alunos de Tabatinga.

 

Aldeia da Música

Em 2015, crianças indígenas de 7 a 11 anos estiveram representando o Amazonas no III Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, realizado em Olinda (PE). O projeto de extensão chamado “Aldeia da Música” tinha a proposta de desenvolver a musicalização, buscando a inclusão sociocultural de crianças Ticuna, por meio do canto coral e do violino.

Áida Fernandes