Programa “Melhor em Casa” inicia o ano atendendo mais de 500 pacientes

By -

melhor_em_casaAmpliado no final do ano passado, com a inclusão de mais uma equipe de atendimento, o Programa de Atenção Domiciliar Melhor em Casa, executado pela Secretaria Estadual de Saúde (Susam) em parceria com o Ministério da Saúde, já atende atualmente 510 pacientes. O programa reúne um conjunto de ações de promoção à saúde, prevenção e tratamento de doenças e de reabilitação, realizadas em domicílio, gratuitamente, por equipes multiprofissionais. Desde que foi implantado, em agosto de 2013, o programa já beneficiou 1.433 pacientes..

“Hoje, já temos 12 equipes de atendimento, num total de 94 profissionais. No ano passado, estas equipes realizaram 27,8 mil visitas de acompanhamento domiciliar”, destacou o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim. Multiprofissionais, as equipes são formadas por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos de enfermagem, nutricionistas, fonoaudiólogos, assistentes sociais, psicólogos e farmacêuticos.

Uma das finalidades do “Melhor em Casa” é reduzir o tempo de internação hospitalar de pacientes que estejam com o quadro estabilizado, sem agravamento, mas ainda necessitando de cuidados sistemáticos, como curativos, trocas de sonda, medicação, fisioterapia respiratória, entre outros procedimentos terapêuticos ou profiláticos, que podem ser realizados em casa. Esse acompanhamento passa a ser feito em domicílio, com todo o suporte assistencial necessário. Desde agosto de 2013, quando foi implantado, o programa permitiu a desospitalização, mediante parecer médico, de aproximadamente 580 pacientes.

Alecrim explica que as atuais 12 equipes do programa atuam vinculadas aos Prontos-Socorros João Lúcio, 28 de Agosto e Platão Araújo, além da Fundação do Coração Francisca Mendes e Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD). “Nosso planejamento prevê que as próximas a serem implantadas passarão a funcionar vinculadas à Fundação Cecon e Fundação Hospital Adriano Jorge”, informou. De acordo com o secretário, a Susam tem tido a preocupação de adotar o conceito de territorialização, fazendo a distribuição das equipes de forma a garantir a cobertura das várias zonas da cidade.

No caso da equipe que deverá funcionar vinculada à Fundação Cecon, a mesma irá reforçar o trabalho que já é desenvolvido por equipe multidisciplinar da unidade, que faz o acompanhamento de pacientes em domicílio.  Somente no mês de janeiro, 136 pacientes acompanhados pela unidade foram atendidos por esta equipe, sendo 51 de primeira vez e 85 em consulta de retorno.

Além do acompanhamento clínico, os pacientes também recebem insumos e materiais destinados ao seu tratamento. “Esses materiais incluem, por exemplo, cadeiras de banho, caldeiras de roda, colchões especiais (tipo caixa de ovo), camas fawler (hospitalar), entre outros”, ressalta o secretário.

Outra preocupação do “Melhor em Casa” é a capacitação dos familiares, para que possam ajudar nos cuidados ao doente, colaborando com a equipe do programa para manter o bem-estar e a qualidade de vida do paciente.

Roberto Brasil