Professores do interior recebem capacitação ambiental sobre ‘rios voadores’

By -
Os municípios de Carauari, Coari e Tefé serão agora beneficiados com o projeto

Os municípios de Carauari, Coari e Tefé serão agora beneficiados com o projeto

Depois de capacitar quase 300 professores da rede pública de Manaus em maio sobre o fenômeno meteorológico conhecido como “rios voadores”, a equipe Rios Voadores leva o projeto a três municípios do interior do Estado do Amazonas: Carauari, Coari e Tefé. Os educadores entenderão mais sobre o papel da Floresta Amazônica como regulador do clima e a importância do vapor de água transpirado pelas árvores e carregado pelos rios aéreos para abastecer os recursos hídricos brasileiros.

De acordo com o coordenador do projeto, Gérard Moss, a proposta é capacitar cerca de 200 professores nos três municípios, atingindo um universo de 10.000 alunos das redes de ensino municipal e estadual.

Patrocinado pela Petrobras desde 2007, através do Programa Petrobras Socioambiental, o Projeto Rios Voadores começou com ações de pesquisa científica, e atualmente se dedica à educação ambiental, trabalhando junto às Secretarias de Educação em vários estados do país para inserir a temática em sala de aula através da capacitação de professores de ciências e geografia. Desde 2010, o projeto capacitou 3.530 professores, alcançando aproximadamente 600.000 alunos pelo País afora.

Sempre em parceria com as Coordenadorias Regionais de Educação e Secretarias Municipais de Educação, as oficinas rios voadores acontecem primeiro em Carauari (a 786 km de Manaus), no dia 10 de junho, em dois turnos (às 8h e às 13h), no auditório ETI Sérgio Rufino de Oliveira, Rua Jorge Alves 580, no Centro.

No dia 16 de junho, as oficinas acontecem em Coari (a 363 km de Manaus), no auditório Dom Jackson, EE N. Sra. Do Perpétuo Socorro, Rua XV de Novembro, no Centro, às 8h e às 13h.

Fechando a programação, no dia de 18 de junho, a capacitação  chega em Tefé (a 522 km de Manaus), e será realizada também em dois turnos no auditório de Centro Educacional Gov. Gilberto Mestrinho, Estrada do Aeroporto s/n, no bairro de São Francisco.

Investir nos professores e educadores é um meio de difundir conhecimentos sobre o clima e a natureza que tem um impacto forte nas nossas vidas. Os participantes das oficinas se tornam multiplicadores de conteúdo e informação.  Ninguém melhor do que os próprios amazonenses, acostumados ao ciclo de cheias e vazantes, para entender como as variações climáticas podem ser boas, ou ter graves consequências como nas secas de 2005 e 2010. Na capacitação, os professores vão entender melhor como funciona a evapotranspiração das árvores e sua influência sobre o regime de chuvas local e nacional. Sabendo como a temperatura dentro da floresta é bem mais amena do que no meio de um pasto sem sombra, ajudarão a zelar para a preservação da Floresta Amazônica.

As oficinas serão ministradas pela professora Aurelice Vasconcelos, sob coordenação do aviador e diretor do projeto, Gérard Moss.

Roberto Brasil