Problemas da navegação e fragilidades de portos da Região Norte serão debatidos em Brasília

By -

Embarcações com dragas de garimpo Rio Madeira

As condições de portos e hidrovias do país será tema do “III Seminário Portos e Vias Navegáveis: um olhar sobre a infraestrutura”. O evento, que ocorre nesta terça-feira (15), reunirá parlamentares, entidades e órgãos do setor de navegação do país, em Brasília. As condições de navegabilidade em rios da Região Norte e problemas que afetam o transporte aquaviário brasileiro serão temas abordados no encontro.

Manaus moderna - Divulgação Sindarma

O presidente do Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial no Estado do Amazonas (Sindarma), Claudomiro Carvalho Filho, é um dos líderes que proferem palestras durante o seminário. Carvalho representará a Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária (Fenavega). A entidade é composta por sete sindicatos e atua diretamente com principais empresas de navegação do país.

Manaus Moderna 2 - Divulgação Sindarma

“Iremos abordar a perspectivas da navegação interior, que oferece mais potencial em relação aos demais modais de transporte em virtude do baixo custo e por ser ecologicamente correto. Além disso, trataremos dos investimentos privados para o Arco Norte que deve atingir R$ 2,4 bilhões”, comentou o presidente do Sindarma.

As entidades da navegação pretendem ainda apresentar a preocupações do setor em relação à legislação e normas, que podem impactar o desenvolvimento do transporte aquaviário.

Rio Negro_Porto São Raimundo Manaus

“A importância do registro para terminais de empresas de navegação ocorre porque é uma autorização simplificada que não concorre com as atividades realizadas pelas Estações de Transbordo de Cargas (ETCs), apenas adequa à realidade da região Amazônica e das atividades das empresas. Precisamos manter a navegação como atividade simplificada e sem burocracia. Existe também uma necessidade de regularização de terminais em áreas de Portos Organizados como são os casos, por exemplos, de Belém, Santarém, Santana e Manaus”, explicou Claudomiro Carvalho.

O múltiplo uso de águas de hidrovias, garantido o compartilhamento correto, também será abordado. “Sabemos que a falta de eclusas, dragagens e sinalização são problemas que afetam a navegação. Além disso, as empresas do transporte aquaviário têm sido alvos da criminalidade, de ataques de piratas e sofrem com o garimpo nos rios”, enfatizou o presidente do Sindarma e representante da Fenavega.

O III Seminário Portos e Vias Navegáveis será realizado a partir das 8h, no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados. O evento deve contar com presença do vice-presidente da República Michel Temer, deputados federais, senadores e ministros. O encontro de diferentes esferas do setor pode resultar em novas medidas para o desenvolvimento do transporte fluvial e a infraestrutura portuária.

Mario Dantas