Principais bancadas rejeitam eleições diretas, diz jornal

By -

Na hipótese de Temer deixar o cargo, os congressistas querem manter a exclusividade de escolher quem comandará o país até dezembro de 2018

A maioria do Congresso é contra mudar a Constituição para convocar eleições diretas caso o presidente Michel Temer deixe o poder. Isso é o que mostra levantamento feito pelo jornal Folha de S.Paulo, que ouviu líderes dos 10 maiores partidos da Câmara e do Senado, 72 senadores (89%) e 397 deputados (77%).

Na hipótese de Temer deixar o cargo, os congressistas querem manter a exclusividade de escolher quem comandará o país até dezembro de 2018.

De acordo com o levantamento, com exceção de parlamentares da esquerda, que é minoritária, todos se declararam abertamente contra as Diretas-Já.

Os oposicionistas PT, PSB e PDT não representam nem 30% das dez maiores bancadas.  A reportagem informa que para alterar a Constituição é necessário apoio de pelo menos 60% dos parlamentares em cada Casa. “Diretas-Já só em 2018, reforçou Romero Jucá (RR), líder do governo no Senado e presidente do PMDB.  Vale lembrar que PSDB e PMDB são os maiores partidos da base de sustentação do governo.

*VEJA

 

Roberto Brasil