Preso bacharel em Direito que agrediu e ameaçou a namorada

By -
Bruno Holanda afirmou que tudo teria sido motivado por ciúme ao ler uma mensagem no celular da vítima

Bruno Holanda afirmou que tudo teria sido motivado por ciúmes ao ler uma mensagem no celular da vítima

A Polícia Civil do Amazonas, representada pela delegada titular da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM), Andrea Nascimento, cumpriu no prédio da unidade policial, na tarde desta terça-feira, dia 21, por voltas das 15h, mandado de prisão preventiva em nome do bacharel em Direito Bruno Augusto Holanda, 36, acusado de agredir fisicamente a namorada dele de 25 anos. O crime ocorreu na madrugada do último domingo, dia 19 de junho.

De acordo com a autoridade policial, o autor da agressão se apresentou espontaneamente na especializada, acompanhado de advogados, e recebeu voz de prisão no prédio da DECCM, situado na zona Centro-Sul da cidade. Bruno alegou que agrediu a namorada em legítima defesa. Ele argumentou que teria visto mensagens no celular da vítima enquanto ela dormia e, motivado por ciúmes, teria iniciado uma discussão com a garota.

“Ele afirmou que sufocou a vítima com um travesseiro em uma tentativa de se defender, pois, segundo ele, também teria sido agredido pela namorada após ela acordar. O fato é que a quando a vítima nos procurou, logo após a agressão, estava realmente muito lesionada, sangrando bastante e o que podemos ver é que nada justifica uma agressão dessa forma. Ela nos relatou que além de ter sido agredida ele ainda a ameaçou de morte caso ela procurasse a polícia para contar o que havia acontecido”, declarou a titular da DECCM.

delegada-andrea-nascimentoAndrea Nascimento ressaltou que diante do depoimento da vítima ela representou o pedido de prisão preventiva em nome do infrator. O documento foi expedido no início da tarde de ontem, pela juíza Ana Lorena Teixeira Gazzineo, que estava respondendo pela 2ª Vara Criminal.

“Após a formalização do crime pela vítima demos inícios às diligências. Estivemos no apartamento de Bruno, onde aconteceram as agressões, mas ele não foi encontrado no local. Acredito que após a repercussão do caso ele decidiu se entregar. Já estamos tomando todas as providências cabíveis, inclusive, requeremos a concessão de medida protetiva em favor da vítima”, argumentou Andrea.

Bruno foi indiciado por lesão corporal, injúria e ameaça. Após os procedimentos cabíveis ele será encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Roberto Brasil