Presidência do TJAM reforça segurança no Fórum Henoch Reis

By -

25668821694_1ee99162db_k

Dando continuidade a série de medidas de segurança implementadas nos prédios do Poder Judiciário desde o início de sua gestão, a presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargadora Graça Figueiredo, conferiu na manhã desta quarta-feira, dia 6, a instalação de dois armários (que somados contam com 32 vagas) na portaria do Fórum Ministro Henoch Reis, e que servem para guardar as armas de policiais civis e militares que estejam participando de audiências.

Segundo o sargento Trindade, coordenador-geral da segurança do fórum, a iniciativa partiu da própria desembargadora-presidente. “Ela viu a nossa situação em termos de segurança e iniciou o processo de instalação de mecanismos que evitassem possíveis acidentes dentro dos prédios do TJAM. O ato mais recente foi a instalação de dois armários com chave e que servem para guardar a arma de policiais que não estejam a serviço”, explica.

Ao chegar no fórum, o policial civil ou militar deverá se identificar na entrada. Em seguida, será encaminhado para um balcão ao lado da portaria e nele irá protocolar o armazenamento da arma. Ao final, receberá uma chave, que não possui cópia, ficando inteiramente responsável pelo objeto. “Isso nos permite trabalhar muito mais no guarnecimento da segurança em todo o prédio”, ressalta o sargento.

Trindade comenta que, diariamente, mais de 20 policiais militares transitam pelo Fórum Henoch Reis. “E ainda contamos com os policiais civis. Aqueles profissionais que estiverem no prédio a serviço, seja na realização de uma escolta ou até mesmo para protocolar algo, ele não precisa deixar sua arma no armário. Ele está resguardado pela portaria que autoriza sua permanência no prédio com armas por se tratar de escolta de valores materiais ou presos”, salienta.

AVANÇO

26181204152_3508e4399b_k

Outro importante avanço na segurança dos prédios do Poder Judiciário da capital foi a instalação da porta giratória com detector de metais e esteira para objetos com raio-x. O sargento afirma que, logo no início, foram apreendidas armas brancas, mas que atualmente os objetos retidos na entrada limitam-se a serras e alicates de unhas e tesouras, por exemplo.

“Acreditamos que, após a implementação do sistema de segurança em todos as unidades do Judiciário em Manaus, os usuários de armas brancas e de fogo ficaram inibidos. Quando detectamos algum objeto que possa oferecer perigo, recolhemos, entregamos uma cautela e o proprietário possui o prazo de 24 horas para realizar a retirada. Caso isso não aconteça, esse mesmo objeto é encaminhado automaticamente para a destruição”, finaliza.

Mario Dantas